Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 017 | Ano 2 | Nov 1997
OPINIÃO
OPINIÃO

Baixaria no domingo à tarde

Maria Anahy Maricato Moura

No domingo do dia 26/10/97, ao ligar a TV, fiquei pasma com o quadro que assisti. Nele, algumas mulheres nuas se expunham para servirem de bandejas para comidas japonesas. A primeira coisa que me lembrei ao ver aquele horror, foi que os meus aluninhos de 3 anos pudessem estar assistindo. Eu, então, entre chocada e enojada, me perguntei: será que a rede de televisão que financia isto é a mesma que financiou o programa Criança Esperança?

Senhores, não se trata de ser moralista, ou religiosa, ou qualquer outro tipo de rótulo que eu venha a ser taxada. Se trata, sim, de respeito às nossas crianças. Como um país ou um programa, ou mesmo emissora, ou um apresentador, querem ser tratados como sérios, se expõem as nossas crianças a este tipo de agressão? Me questiono se estas pessoas responsáveis por este quadro não têm filhos, netos ou mesmo crianças que morem perto de suas casas? Será que seria muito difícil pensar um pouquinho nelas, já que nas outras não pensam? Será que para conquistar alguns míseros pontinhos de audiência este programa precisa descer tão baixo? O que adianta fazer campanhas em prol da criança durante um dia do ano e no resto expô-las a esta agressão.

Acho que os que querem assistir este tipo de coisa, até têm seu direito, assim como a emissora tem seu direito de passar, mas só um momentinho: às 3 horas, 5 horas da tarde? Em que horário estas crianças terão que assistir televisão, então?

Nunca havia escrito para uma emissora antes, mas simplesmente, como educadora não posso me calar frente a tantas coisas absurdas que viemos vivendo. Até quando vamos ter que aturar esta agressão dentro de nossas casas? Sei que não é só esta emissora, mas este quadro, neste horário, passou de todos os limites humanamente aceitáveis.

O que mais me admira é que em nome de uma “liberdade de imprensa”, as pessoas vão confundindo liberdade com libertinagem. O que dizer a uma criança de 3 anos que queira saber porque a mulher está nua em cima da mesa? E, por que o homem queria comer comida nela? e por que ela tem que brincar sem roupa? Estes foram alguns dos questionamentos que as crianças fizeram, pergunto, o que vocês responderiam para crianças de 3 anos, ou até mesmo as de mais idade? Gostaria da resposta, porque eu não sei o que dizer!

É triste, muito triste, ver este desrespeito, de um programa deste porte, com as crianças que nas tardes de domingo gostavam de assisti-lo. Sim, porque após este domingo, com muitos adultos que conversei, e inclusive jovens, não permitirão mais que seus filhos vejam este programa. Aliás, em nível de opção para assistir televisão aos domingos, o povo brasileiro está “ferrado”. A pobreza das nossas programações são de doer, se resume em concursos de “bundas, seios, lutas no gel e outras baixarias”, tudo em horário vespertino para que as nossas crianças não tenham como escapar.

* Maria Anahy Maricato Moura é pedagoga, psicopedagoga e professora de maternal. Porto Alegre.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS