Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 017 | Ano 2 | Nov 1997
CULTURA
CULTURA

Obra revela colonização judaica no estado

Dóris Fialcoff

A professora Isabel Rosa Gritti, de Erechim, acaba de lançar em livro, pela Martins Livreiro Editor, a sua dissertação de Mestrado em História do Brasil (PUC-RS): Imigração Judaica no Rio Grande do Sul – A Jewish Colonization Association e a Colonização de Quatro Irmãos. Com informações obtidas nos documentos da companhia inglesa responsável pela vinda dos imigrantes judeus, a Jewish Colonization Association, mais conhecida como ICA, a autora procura elucidar a ação da própria Companhia no processo de imigração e colonização judaica no Rio Grande do Sul. Através do Instituto Cultural Judaico Marc Chagall de Porto Alegre, ficou sabendo sobre a numerosa correspondência da ICA existente no Arquivo Judaico Brasileiro de São Paulo.

Também com o apoio do Instituto viajou em busca dos documentos necessários. No princípio, se deparou com dois sérios problemas, um deles foi a enorme quantidade de material, o qual se viu obrigada a submeter a uma seleção. Tarefa aliás, que não achou muito fácil “diante da riqueza de informações contidas em cada página das milhares de correspondências trocadas entre a direção Central da ICA, e a direção da mesma em Quatro Irmãos”, explica. A outra dificuldade foi o idioma em que estavam escritos: francês, do qual ela nada sabia. “Dediquei-me ao estudo da língua a partir dos documentos por mim selecionados”, detalha. “Inicialmente, e para manter a fidelidade ao documento, eu traduzia a palavra tal e qual a encontrava no dicionário”.

O professor Dr. René Ernani Gertz, o orientador da dissertação, conta na apresentação do livro que quando ela lhe apresentou os primeiros documentos, ficou “extremamente preocupado com o futuro do trabalho, pois toda essa documentação da empresa colonizadora era em francês e Isabel me confessou que não sabia praticamente nada de francês”, relembra. “Comentou um ou outro documento comigo, onde havia feito um trabalho extenuante de colocar a lápis a tradução de cada vocábulo(…)”. René confidencia o seu pensamento na ocasião: “daí não sairia um bom trabalho”. “Mas me enganei”, assume ele, “uma vontade muito grande de realizar um bom trabalho levou Isabel a estudar francês e a dominá-lo dentro de muito pouco tempo”.

Isabel Rosa Gritti leciona na Universidade Regional Integrada – URI – Campus de Erechim, e continua com a atividade de pesquisadora, agora voltada para a imigração polonesa no Rio Grande do Sul. “Os processos de imigração e de colonização ligados à vinda de alemães e italianos estão relativamente bem estudados pela historiografia gaúcha”, opina René. “Faltam, porém, estudos mais consistentes sobre as demais levas de imigrantes. É evidente que esse volume de trabalhos sobre as imigrações alemã e italiana se deve basicamente à importância numérica destes dois surtos imigratórios dos séculos XIX e XX. Mesmo assim, não justifica que até hoje faltam, por exemplo, estudos mais extensos e profundos sobre a imigração polonesa do estado”, analisa o professor.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS