Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 018 | Ano 2 | Mar 1998
MOVIMENTO
MOVIMENTO

Notas

Central de denúncias na DRT
A Delegacia Regional do Trabalho (DRT) colocou em funcionamento a Central de Atendimentos, Denúncias e Informações aos Trabalhadores com o vírus HIV. O serviço tem por objetivo mediar litígios, conflitos e impasses entre empregados e empregadores em face da ocorrência da Aids no local de trabalho, além de acolher e analisar denúncias, prestando esclarecimentos necessários a qualquer das parte. O atendimento é diariamente, das 13h30min às 17h30 min, na Divisão de Segurança do Trabalhador (Avenida Mauá, 1013, sala 312), com agendamento antecipado pelo telefone 225-2843.

Cláusula social na Alca
O sindicalismo norte-americano só aceita a negociação em torno da Área de Livre Comércio das Américas (Alca), que englobará 34 países americanos, excluída apenas Cuba, se incluir cláusulas sociais e ambientais. Os sindicalistas presentes no encontro anual/1998 do Fórum Econômico Mundial, realizado no início de fevereiro, apresentaram os 10 pontos prioritários para o século 21. Pedem a inclusão da cláusula social nos acordo internacionais e que a Educação para todos no ano 2000 figure no topo das prioridades globais. “O Nafta (acordo entre os Estados Unidos, México e Canadá) não inclui cláusulas sociais e ambientais e só prejudicou os trabalhadores mexicanos e americanos”, alega John Sweeney, presidente da central sindical dos EUA AFL-CIO (12,9 milhões de membros).

Seminários e Cursos
A Oficina PSI – instituição de clínica, ensino e pesquisa na área da saúde mental, de Porto Alegre, já está com a programação pronta para o primeiro semestre de 1998. Entre as atividades, seminários (O caminho das letras, coordenado pelo doutor em Educação, Marcos Vilella, e Ferramentas Conceituais e Metodológicas para a criação de uma psicanálise trágica, ministrado pelo psicanalista e professor Alfredo Naffah Neto), cursos (Trabalho comunitário e Subjetividade infantil), oficinas (com as temáticas vivências do climatério, relações amorosas e relações criança/adulto). Revivendo o antigo costume dos Saraus, de reunir as pessoas para expressar outras habilidades que não só as reconhecidas no mundo do trabalho, a Oficina Psi abre espaço para que se trabalhe novas conexões entre vida, arte e clínica. Outras informações pelo telefone (051) 330.7773 ou na própria Oficina Psi (rua Miguel Tostes, 650, bairro Rio Branco).

Agricultores retomam protestos
Pequenos agricultores gaúchos retornam às ruas em março. Entre as reivindicações está o crédito subsidiado, com juro zero, rebate de 30% sobre o capital e prazo de pagamento de até 10 anos. Também pedem a votação e aprovação do projeto de seguro agrícola, que foi arquivado em dezembro pela Assembléia Legislativa, por falta de quorum. Este programa inclui a cobertura do prejuízo da lavoura atingida por problemas climáticos. Outra reivindicação é a anistia no pagamento do empréstimo de R$ 400,00 por família em conseqüência da estiagem que castigou a safra 95/96. O movimento está sendo organizado pela CUT Rural, com o apoio da Fetag, e será realizado de 10 a 13 de março.

Romaria por agenda política
No dia 24 de fevereiro, centenas de agricultores participaram da 21ª Romaria da Terra, no município de Ivorá, na região central do estado, para rezar e discutir ações para melhorar a situação dos pequenos agricultores gaúchos. Sob o lema Agricultura familiar como uma forma de resistência e alternativa para o Brasil da 21ª Romaria da Terra, os romeiros anunciaram maior combatividade nas reivindicações. No dia 11 de março, os agricultores sairão de Esperança, passando por Venâncio Aires, Santa Cruz do Sul, Rio Pardo, Pantano Grande, Minas do Leão, Butiá, Guaíba e Eldorado do Sul, devendo chegar a Porto Alegre seis dias depois. Trata-se da Marcha da fé e da esperança.

MST amplia mobilização
O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) retomará as ocupações de terra a partir deste mês. A meta é triplicar, neste ano, o número de ocupações promovidas em 1997. Só neste mês – aniversário de três anos do massacre de sem-terra em Eldorado dos Carajás, serão realizadas 180 ocupações. Também estão previstas outras movimentações em todo o país, entre elas 150 marchas.

Trabalho infantil na pauta
Caravanas organizadas estão percorrendo o mundo, desde o dia 25 de fevereiro, divulgando e sensibilizando a sociedade para o tema do trabalho infantil. Trata-se da Marcha Global contra o Trabalho Infantil, uma mobilização internacional que tem como objetivo básico proteger e promover os direitos de todas as crianças e adolescentes em relação a sua exploração como mão-de-obra para o mercado de trabalho. Mais de sete mil organizações da sociedade civil, em 97 países de quatro continentes, estão comprometidos com a causa. No Brasil, ela já percorreu São Paulo (25 de fevereiro), Curitiba (dia 26), Florianópolis (dia 27), Novo Hamburgo (dia 2 de março) e Porto Alegre (dia 3). As caravanas dirigem-se a Genebra, na Suíça, para apresentar suas propostas e reivindicações à 86ª Conferência da Organização Internacional do Trabalho, que estará reunindo todos os seus países membros, inclusive o Brasil, para debater ações contra o trabalho infantil.

Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.