Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 025 | Ano 3 | Set 1998
MOVIMENTO

Prefeito de Canoas destitui professoras

Da redação

O prefeito de Canoas, Hugo Lagranha (PTB), afastou três professoras da Escola Municipal Ícaro, naquela cidade, acusadas de fazer campanha política pelo PT dentro e fora da instituição. A diretora Rejane Duarte, a vice-diretora Rosane Bastian e a supervisora Iraci Radaveli foram destituídas de seus cargos no dia 18 de setembro. Segundo o prefeito, as denúncias partiram dos assessores do deputado estadual Ledevino Piccinini (PTB) e do vereador Luis Carlos de Vargas Marques (PTB).

Protesto – A medida gerou indignação de pais e alunos da escola, que vêm realizando movimentos de protesto, pois entendem que foi uma decisão arbitrária do prefeito. Já na segunda-feira, dia 21 de setembro, os pais solicitaram uma audiência com o Executivo Municipal para explicar os fatos e reverter a situação. Mas o prefeito foi taxativo ao afirmar que não mudará a sua decisão: “são cargos de confiança e perdi a confiança nelas”.
Na terça-feira, o presidente do Círculo de Pais e Mestres (CPM), Renaldo José Pinheiro, e o presidente da Associação dos Pais, Dirceu Fernandes, acompanhados de pais de alunos, estiveram em reunião com representantes das bancadas dos partidos na Câmara de Vereadores de Canoas, de quem receberam apoio na reivindicação do retorno da equipe diretiva. O presidente da Câmara, Cláudio Schultz (PPB), prometeu tentar um contato com o Lagranha e fazer o que fosse possível “para ajudar a comunidade”. Fernandes afirma que o trabalho da direção é reconhecido estadualmente pela proposta pedagógica que desenvolve. “Desde que assumiram, há cinco anos, o número de alunos e de séries foi ampliando e ganhamos vários planos, destacando a qualidade de ensino”, lembra.
Na quarta-feira continuaram os protestos. Em passeata, cerca de 300 pessoas foram da escola, na avenida Guilherme Schell, até a prefeitura municipal, onde promoveram um ato público pedindo ao Prefeito Hugo Lagranha que reconsiderasse. Os estudantes estavam munidos de cartazes com frases como “O CPM da Ícaro protesta contra a arbitrariedade do prefeito. Queremos a diretora Rejane de volta”. Uma das mães assegura que a administração da escola é ótima e que a “proposta pedagógica é eficiente e não pode ser interrompida por causas extra-escolares”.

Remanejo – A diretora, Rejane Duarte, foi transferida para a escola Sete de Setembro, no bairro Mathias Velho; Rosane Bastian, a vice-diretora, foi para a Paulo VI; e a supervisora para escola Rui Cirne Lima. Por enquanto, a situação permanece a mesma e não só as docentes continuam afastadas da Ícaro, como no dia 28 de setembro, tomaram posse, por remanejo, a diretora Luciane Aparecida Gonçalves Estivalet, a vice Silvana de Araújo. A escola está sem orientadora educacional, pois Roséli Frölichm Pujol Lima, que fazia parte da equipe, pediu remanejo da escola, pois se sentiu tão atingida quanto as outras. Ela comenta que foi mero acaso não estar junto às colegas no momento do episódio que determinou o afastamento das colegas.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS