Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 026 | Ano 3 | Out 1998
EDUCAÇÃO
EDUCAÇÃO

Cresce mercado de material escolar

Da Redação

Com um público aferido em 29.100 visitantes, encerrou-se no último 1? de outubro a 12? Feira de produtos para escola, escritório e papelaria, a Escolar 98, maior evento do gênero na América Latina. Ao todo, foram quatro dias de exposição no Anhembi, em São Paulo, que superaram as expectativas dos organizadores e participantes.

Segundo balanço da Associação Brasileira da Indústria Gráfica (Abigraf), o consumo interno de cadernos, agendas e material escolar, deverá ter um aumento de 5% na temporada de “volta às aulas 99”. Só para se ter uma idéia, o setor de papelaria, no qual estão inseridos produtos comercializados na Escolar 98, faturou no ano passado US$ 485 milhões, representando apenas 7,5% do total da indústria gráfica. Para incrementar este ano, Ricardo Bignardi, diretor setorial de Cadernos e Agendas da Abigraf, destaca que o ritmo das vendas será acelerado a partir da realização da feira, momento em que foram apresentadas as linhas de produtos e os lançamentos para o próximo período.

Um dos destaques comerciais da Escolar 98, foi o Grupo Jandaia, que registrou um faturamento na ordem de R$ 500 mil durante o evento. O produto que mais fez sucesso foi o caderno universitário com a fotografia de Sheila Mello, a nova dançarina da banda É o Tchan. “Vendemos o equivalente a 30 dias de produção”, registra Carlos Augusto Rossete, gerente de marketing da empresa que atua no mercado gráfico há 42 anos.

LICENÇAS – Além de produtos estampando integrantes da banda É o Tchan, foram registrados muitos com as Chiquititas, personagens da Disney e Warner Bros, entre outros, transformando a Escolar 98 em um paraíso para as empresas licenciadoras. A The Walt Disney Company do Brasil, por exemplo, aproveitou o evento para apresentar os personagens do seu novo filme A bug’s life (Vida de inseto), que chegará aos cinemas brasileiros em dezembro. “Após a receptividade que tivemos em nosso show-room, deveremos crescer mais 20% em 99”, relata Ana Sílvia Stabel, diretora de marketing da Disney, ao lembrar que, neste ano, a categoria papelaria representa 20% do licenciamento da empresa no Brasil.

Para João Batista de Lima, presidente da Francal – Feiras e empreendimentos, promotora da Escolar 98, as empresas que participam das grandes exposições estão se preocupando em fazer uma boa ação de marketing nos eventos em que participam. “A ação comercial, cada vez mais, vem como decorrência disto”, analisa.

Educação Física – Normas para a profissão

Da redação

Os profissionais de Educação Física vão eleger os 18 integrantes para o Conselho Federal do Profissional de Educação Física, num evento que reunirá, no Rio de Janeiro, representantes das associações da categoria de todo o país, no dia 8 de novembro. Será esta entidade que normatizará todas as ações do exercício da profissão, regulamentada no dia 1º de setembro pelo presidente Fernando Henrique Cardoso, depois de quase 40 anos de discussões. O projeto de lei sancionado é de autoria do deputado Eduardo Mascarenhas, com substitutivo do deputado Paulo Paim.

Eleita, a direção do Conselho terá, então, 180 dias para estabelecer as normas da profissão e eleger os Conselhos Regionais e Estaduais. De acordo com o professor de Educação Física e vereador porto-alegrense Carlos Alberto Oliveira Garcia, 46, vice-presidente da Associação dos Profissionais de Educação Física do Rio Grande do Sul (Apef/RS), o primeiro grande passo do Conselho será realizar um censo nacional em busca de dados sobre o número destes profissionais no Brasil e a área de atuação de cada um. “No Rio Grande do Sul estimamos que há cerca de 20 mil”, conta. “Agora, de todo o país é um grande questionamento. O censo funcionará como uma espécie de radiografia da área”.

Também serão aprofundadas, segundo Garcia, as discussões sobre o perfil do profissional de Educação Física. “Este profissional tem uma importância fundamental na área da Educação e da Saúde”, destaca Garcia. “Temos que nos voltar mais para a qualificação, inclusive, daqueles profissionais que, mesmo sem formação, têm o direito adquirido por exercerem a função antes da regulamentação”.

MERCADO – A regulamentação da profissão de Educação Física trouxe mudanças. A partir de agora, é a categoria, através de seus conselhos estaduais, regionais e federal, que vai deliberar o seu rumo. Além das instituições de ensino, também os clubes desportivos, as academias, creches, hospitais, praças, parques e demais espaços que exigem recreacionista e dirigentes esportivos, condomínios, escolas desportivas, asilos, empresas e clínicas de personal trainer estão obrigadas a ter um profissional de Educação Física, com registro no Conselho Estadual ou Regional. “A nossa atuação na área da saúde é um trabalho preventivo”, explica Garcia. “O investimento é pequeno, prazeroso porque trabalha com o lúdico e gera benefícios para toda a população”.

Em Porto Alegre, a contratação de um profissional de Educação Física neste mercado já era obrigado antes mesmo da regulamentação, graças a Lei Municipal 8.141/98, do vereador Garcia, sancionada pelo prefeito Raul Pont neste ano.

Pedagogia 1
A Pangea Viagens e Turismo preparou um pacote especial para as pessoas interessadas em participar do Pedagogia’99, que acontece de 1º a 5 de fevereiro em Havana, Cuba. Outras informações sobre o pacote especial para o Pedagogia’99 podem ser obtidas pelo telefone (051) 228-8887.

Pedagogia 2
O evento será realizado no Palácio de Convenciones e tem a participação do Ministério da Educação da República de Cuba; Unicef; Organização de Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OIE); Associação de Educadores da América Latina e do Caribe (Aelac); Convênio Andrés Bello; Ministério de Educação Superior da República de Cuba.

Agenda ampla
Faz parte da programação do congresso Pedagocia’99, os painéis Ciências Pedagógicas; Desenvolvimento da Inteligência e da Criatividade; Sociedade, Família e Escola; Educação Laboral e Formação Técnica Profissional; Psicologia Pedagógica; Formação Inicial e Permanente da Pessoa Docente; Ensino das Ciências Sociais; Educação Física e Esporte; Ensino das Ciências Exatas e Naturais; Ensino das Línguas e a Arte; Educação Pré-escolar; Educação Primária; Educação Básica e a Média Superior; Educação de Adultos; Educação Especial; Pedagogia da educação Superior; Direção, organização e Supervisão Escolar; Tecnologia Educativa.

Universidade de Bologna
O romancista Umberto Eco inaugurou, no último 29 de outubro, em Buenos Aires, na Argentina, a primeira sede da Universidade de Bologna em terras não italianas. Na ocasião, Eco proferiu a conferência O livro no próximo milênio. Considerada a mais antiga do mundo (fundada em 1088), a Universidade de Bologna dá início a um projeto amplo, que pretende acompanhar o processo de integração entre os países.

A sede portenha
A sede portenha da Universidade de Bologna terá seminários de pós-graduação lato sensu e um mestrado em Relações Internacionais. Segundo Vicente Donato, diretor-executivo na Universidade na Argentina, será criado um programa de bolsas, voltado a alunos de toda a América Latina, mas sobretudo aos países do Mercosul. A instituição pretende manter convênios com universidades brasileiras. Entre elas, a Universidade de São Paulo (USP).

Quase todo o corpo docente da sede argentina será integrado por professores italianos. Outras informações e inscrições podem ser obtidas pelo telefone (00541) 814-5763 ou pelo fax (00541) 812-8628.

Professores mobilizados
O magistério público estadual dará continuidade à luta para barrar a municipalização do ensino no Estado e prosseguirá com as discussões relativas às escolas técnicas, visando garantir a formação geral e técnica para preservar a educação integral do aluno. Segundo Lúcia Camini, presidente do Cpers-Sindicato, a categoria quer agendar um encontro com o governador eleito, Olívio Dutra, antes da posse, para tratar sobre as questões que afetam o professorado e o ensino público estadual.

Ensino fundamental
O Conselho Nacional de Educação (CNE) dá início às discussões da ampliação do ensino fundamental do país das atuais oito séries para nove séries. Com isso, os alunos começariam não mais aos sete anos de idade, mas aos seis. Essa ampliação é prevista pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), aprovada em dezembro de 1996, e está entre as metas do Plano Nacional de Educação que o governo enviou ao Congresso nacional no início do ano.

Educação para a cidadania
A contribuição da escola e da solidariedade na formação da cidadania, como forma de reverter o atual processo de exclusão social, foi avaliada no 16º Congresso Nacional de Educação. O evento, que aconteceu de 11 a 15 de outubro, no Centro de Eventos da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Cepuc), em Porto Alegre, foi promovido pela Associação de Educação Católica (AEC/RS). Os palestrantes abordaram aspectos sociológicos, teológicos e pedagógicos do tema. “O mercado não gera justiça social, e, o pior, os seus valores excludentes estão se difundindo no meio escolar“, observou o presidente da AEC, padre Marcos Sandrini, em sua conferência.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS