Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 038 | Ano 04 | Dez 1999
EXTRAPAUTA
EXTRA PAUTA

A culpa é do cinema

É fácil colocar a culpa pela violência que assola as grandes cidades nas fitas de cinema. Não é bem assim. Tomando como base apenas o filme que teria motivado a tragédia paulista do Morumbi Shopping, dá para perceber que uma minoria de pessoas se deu ao trabalho de assistir a Clube da Luta. Nos Estados Unidos, onde o hábito cinematográfico é um hábito, em três semanas o filme faturou US$ 27,6 milhões. É o sétimo lugar em arrecadação, perdendo feio para fitas açucaradas tipo Titanic. Com o ingresso médio a US$ 6, isso representa 5 milhões de pessoas (sem contar aqueles que assistem ao filme mais de uma vez). Pouco mais de 2% da população americana. No Brasil a coisa é ainda mais constrangedora. O filme foi visto por menos de 1 milhão de pessoas em um mês de exibição, o que prova a vocação elitista de nossas salas. Com o ingresso na média a R$ 8, é diversão para classe média alta. Tanto que os dois filmes nacionais de maior bilheteria em todos os tempos – Simão, o Macaco Trapalhão e Central do Brasil – juntaram pouco mais que 3 milhões de pessoas nos cinemas. E não há resquício de violência nesses dois trabalhos.A autoridade investida precisa achar um culpado. Só que misturar as coisas é uma grossa mistificação. Já botaram a culpa pela violência no futebol, nas aglomerações humanas, nos festejos exaltados do Carnaval. Não é de hoje que, vez ou outra, lembram do cinema. O mecânico que intermediou a venda da metralhadora ao atirador do shopping provavelmente não freqüenta salas de projeção, quando muito vê algum filminho pela TV. Muito menos os contrabandistas da arma, ligados ao tráfico de drogas. Mas aí o buraco é mais embaixo.

CPI da Ford I

A Assembléia Legislativa irá votar o relatório da CPI da Ford até 15 de dezembro, quando inicia o recesso parlamentar. O resultado ainda é imprevisivel porque as conclusões do relatório são a um só tempo óbvias e pesadas. Repetem o que os peemedebistas Berfran Rosado e Cezar Busatto alegaram para abrir a CPI, em maio deste ano: “o atual governo não teria negociado com a empresa e a saída da Ford do estado representaria, entre outras perdas, significativo volume de ICMS”. Segundo a bancada de sustentacão do Governo Olívio Dutra, em denúncia no último dia 30, para mostrar estas conclusões os deputados teriam forjado o documento Projeção do Fluxo de Caixa do ICMS gerado pelo projeto Ford, entregue às vésperas do fim da CPI. Os deputados do PT e PDT entraram com notícia-crime na polícia. Pedem a perícia do documento. Se a fraude for confirmada, os responsáveis podem ser enquadrados pelo Código Penal e pela Lei do colarinho branco.

CPI da Ford II

As bancadas do PT e PDT não vão deixar por isso a tentativa de responsabilizar o Governo Olívio Dutra e o Secretário de Desenvolvimento José Luiz Vianna Moraes pela desistência da Ford. Garantem que anunciarão nova denúncia antes da votação do relatório no plenário do Legislativo. A bomba envolveria números incontestáveis, escritos e assinados em documentos oficiais do governo passado, só agora localizados pela CPI da Ford. Chegou a surgir a especulação de que o presidente da CPI, deputado Otomar Vivian (PPB) terá de reabrir os trabalhos da Comissão.

Mostra dos Independentes

Mais um evento cultural já está criando tradição na capital. Ele acontece de 9 a 19 de dezembro na Casa de Cultura Mário Quintana. Trata-se da mostra de CDs Independentes. O evento conta com mais de uma centena de artistas e mais de 130 títulos independentes de diversas tendências com preços abaixo dos praticados no mercado. Durante o evento também ocorrerão, palestras, oficinas, debates e shows em vários locais da CCMQ. Nesta edição, a Mostra comemora um ano de atividades e sucesso de público e vendas. Dos 700 CDs vendidos na primeira edição, em dezembro do ano passado, os números foram crescendo a cada um dos seis eventos ocorridos em 1999 na capital, litoral e serra. De 25 de setembro a 3 de outubro a comercialização praticamente dobrou durante a participação na Feira – Disco na Praça (realizada na Praça da Alfândega/POA), quando a Mostra concorreu com produtos produzidos por grandes gravadoras e comercializou 1.350 unidades. A Mostra de CDs Independentes de Porto Alegre também recebeu este ano a Menção Especial do Prêmio Açorianos de Música e tem se mostrado um movimento crescente. Promete novidades para o ano2000.

Confraternização em família

A Associação dos Professores Aposentados do Ensino Particular do Estado do Rio Grande do Sul (Apaepergs) realizará um almoço de confraternização com seus associados e familiares no dia 15 de dezembro. O encontro será na Sociedade Ginástica Navegantes São João (sede náutica na Ilha do Pavão). Com o almoço, a Apaepergs encerra as atividades do ano. Informações pelo fone 51. 211-1900, com Solange, ou 99581953, com Jaylor. Confirmações até o dia 13.

PT ou PT

O vice-prefeito de Porto Alegre José Fortunatti largou na frente, articulando sua candidatura à sucessão de Raul Pont que ainda não descartou a possibilidade de concorrer à reeleição. Mas o ex-prefeito Tarso Genro está pronto para também decolar a sua candidatura, que está animando dirigentes e militantes de várias correntes. Eles preparam uma grande festa de lançamento da candidatura, dia 11 de dezembro, no bar Opinião, em Porto Alegre. O slogan que está predominando é: “Tarso. Melhor pro PT. Melhor pra Cidade”. Se as pesquisas publicadas até agora estiverem certas, o PT terá de decidir o dilema de com quem governar Porto Alegre. Todos os seus aparecem na frente.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS