Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 042 | Ano 5|Jun 2000
ENSINO PRIVADO
ENSINO PRIVADO

De Olho

Continuam as irregularidades na remuneração dos professores da Ulbra. O Sinpro-RS vem recebendo um grande número de denúncias, com destaque especial para a redução de carga horária, inclusive, de professores que tinham passado à condição de regime “tempo contínuo” (20, 30, 40 horas). A redução de carga horária é proibida por lei. A Convenção Coletiva de Trabalho da categora permite redução no caso de supressão de turmas motivada pela redução do número de alunos. Não é o caso da Ulbra. A instituição veiculou farta publicidade assegurando sua posição de maior universidade do estado em número de alunos (ZH, 15 de março). Fica a dúvida se as comissões verificadoras do MEC estão sendo informadas desta prática da Ulbra.

A Escola Supletiva Alcides Maya, de Porto Alegre, não pagou ainda o recesso escolar (fevereiro/março) aos seus professores.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS