Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 044 | Ano 5| Agost 2000

Editorial

Nesta edição do Extra Classe, o repórter Ricardo Pont faz uma análise minuciosa e apresenta dados de como andam as empresas e serviços outrora estatais, hoje sob responsabilidade da iniciativa privada. A população se encontra dividida se vale ou não a pena pagar mais pelos mesmo serviços, em vários casos tão deficitários quanto antes. Houve ou não houve melhora? Será que as empresas campeãs em reclamações vão conseguir cumprir suas metas até 2003? O consumidor sabe quais são estas metas? É óbvio que não temos respostas para todas estas perguntas. O que pretendemos é fornecer o maior número possível de informações sobre o tema. Para isso, estamos mostrando gráficos e tabelas úteis para que os usuários possam cobrar resultados das empresas e dos órgãos competentes.

A repórter Marcia Camarano visitou lojas de vestuário e shopping centers e constatou. O reflexo da precocidade do desenvolvimento de crianças e adolescentes está diretamente ligado aos estímulos e à moda. Os modelos adultos e o comércio de produtos cada vez mais transforma crianças e pré-adolescentes em adultos em miniatura. Não raro se movem, dançam e gesticulam em rituais de erotismo estimulados pela mídia e dentro das próprias famílias.

Saber escrever parece um desafio. Jovens mal preparados para a função passam a ter verdadeiro pânico das folhas de papel em branco. A partir da constatação desta dificuldade a professora Ana Maria Netto Machado desenvolveu uma tese e técnicas para superar o problema. Para ela, enquanto a escola não estimular o prazer pela escrita, o aluno não aprenderá a escrever de fato.

Temos também um matéria sobre a nova temporada do Espetáculo Rádio Esmeralda, que fica até setembro no Teatro Brune Kiefer. Sem falar nos textos especialíssimos do Verissimo, Elisa Lucinda, Nei Lisboa e Barbosa Lessa.

Cartas

Permitam-me contribuir a respeito da reportagem Pílulas da felicidade em sua página 17. Salvo melhor juízo, os antidepressivos têm venda controlada no Brasil, mas por meio de receita de controle especial (duas vias) e não azul. Não existe no Brasil receita azul e sim notificação de receita B, que é de cor azul.

Professor Gilboé L. Mendes.
Farmacologista. [email protected]

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS