Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 045 | Ano 5 | Set 2000
AMBIENTE

Meio ambiente como um todo

Da redação

Alunos das escolas públicas da Lomba do Pinheiro realizam atividades junto a comunidade para despertar a consciência de preservação. Teatro, música, oficinas de reciclagem e caminhadas fazem parte da rotina dos mais de 5 mil alunos da periferia da capital gaúcha.

Resultado pode ser recebido no dia-a-dia pelos alunos buscando a conscientização

Fotos: René Cabrales

Resultado pode ser recebido no dia-a-dia pelos alunos buscando a conscientização

Fotos: René Cabrales

Para a comunidade da Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre, a questão do meio ambiente é assunto tratado com a maior seriedade. Não é à toa que o Núcleo de Ação Interdisciplinar (NAI) 4, órgão da Smed, realiza convênio entre quatro escolas da rede fundamental, três escolas infantis e 10 creches comunitárias, perfazendo um total de 5 mil alunos, sem contar as escolas do bairro Partenon (também sob abrangência do núcleo) para desenvolver atividades de conscientização ambiental entre outros temas. “Não se trata de buscar apenas a consciência ecológica em sua acepção clássica, mas a do homem inserido no seu ambiente e visto como um todo, tanto do ponto de vista ecológico como cultural e social”, explica a coordenadora do núcleo, Neusa Herbert. Segundo ela, para saber as necessidades de cada escola, é feita uma pesquisa sócio-antropológica do aluno e do contexto em que ele está inserido. A partir dos resultados é extraído o ponto de partida que será adotado na abordagem curricular nas escolas. É também eleito um foco principal e os temas e conceitos que serão abordados como temas transversais – são assuntos tratados em todas as matérias sem constituir uma disciplina por si mesma. “Uma das principais necessidades encontradas na região é geralmente a de reciclagem de lixo e de reorganização do espaço físico”, diz Neusa. Com a definição destes focos principais, também são definidas as atividades. São feitas, por exemplo, visitas ao parque Saint Hilaire e também em locais da comunidade que apresentam problemas, promoção de eventos culturais, organização de passeatas e afins. O trabalho junto às escolas já é desenvolvido há cinco anos e teve seu ápice na segunda quinzena de agosto, entre os dias 21 e 25 , durante a série de atividades intitulada Ambiente é Vida, no Centro Cultural Lomba do Pinheiro, em uma área de mais de 4 mil metros quadrados, com o objetivo de integrar escola e comunidade em torno da importância da preservação ambiental. Foram realizados espetáculos e exposições de trabalhos artísticos, painéis, oficinas de papel reciclado, de artes, de sexualidade, produção de textos, além da caminhada “Construindo a Lomba do Pinheiro com Justiça, Paz e Ecologia”.

O êxito do evento pode ser medido pela participação efetiva da comunidade local durante todos os dias, com uma média acima de 5 mil pessoas. De acordo com a coordenadora o resultado pode ser percebido no dia-a-dia com as crianças que demonstram uma conscientização crescente. “Elas buscam alternativas para solução de seus problemas locais. Mas o que aparece mais forte é que o próprio aluno produz um cultura inédita que reflete esta ação diferenciada na busca de mudanças”.

De acordo com os organizadores do evento, houve um grande salto de qualidade em conseqüência de pela primeira vez se conseguir articular em torno de um evento desta natureza, todas as frentes que trabalham a questão ambiental. Participaram a Secretaria do Meio Ambiente (SMAM), o departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU), Departamento de Esgotos Pluviais (DEP), e a Secretaria de Planejamento Municipal (SPM ).

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS