Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 050 | Ano 6|Abr 2001
ENSINO PRIVADO
ENSINO PRIVADO

Sucesso marca início da programação cultural 2001

Simone e Adriana: Cantoras arrancam gargalhadas do público

Fotos: Divulgação

Simone e Adriana: Cantoras arrancam gargalhadas do público

Fotos: Divulgação

Teatros lotados marcaram as apresentações do espetáculo Rádio Esmeralda – Um Amor de Parceria, promovidas pelo Sinpro/RS no mês de março, em cinco cidades no interior do estado. A turnê ocorreu durante todo o mês de março e faz parte da programação cultural do Sindicato dos Professores do Ensino Privado – Sinpro/RS para 2001. O show comandado pelas cantoras Simone Rasslam e Adriana Marques, sob a batuta do diretor Hique Gomes (Tangos & Tragédias) é uma paródia apimentada e bem humorada de uma Rádio AM cuja programação é totalmente voltada para o público feminino. Os esquetes teatrais e números musicais se revezam arrancando gargalhadas e emoção da platéia.
Para se ter uma idéia do sucesso, só no espetáculo realizado em Bento Gonçalves, o público foi de 930 pessoas. “Estamos muito felizes pela grande participação da comunidade”, comemora Teresinha Filippon, diretora do Sinpro/RS. O ingresso para assistir a peça em Bento foi material escolar. Resultado: o sindicato fez a doação do material recebido (1.483 itens, além de duas mil folhas de ofício) para escolas carentes do município. A turnê da Rádio Esmeralda passou também por Santa Cruz do Sul, Rio Grande, Uruguaiana e Santa Rosa.
Em Porto Alegre, o Sinpro/RS promoveu duas sessões especiais gratuitas para os professores do filme Brava Gente Brasileira, nos dias 17 e 24 de março, na Usina do Gasômetro. As exibições fazem parte do Projeto Escola, que pretende promover o filme entre docentes e estudantes. A película dirigida por Lúcia Murat aborda de forma realista a relação entre brancos e índios Kadiwéu, no ano de 1778, na região do Pantanal. De um lado, o português colonizador atormentado e deslumbrado pela visão do Novo Mundo, e de outro, os índios, assistindo a invasão de suas terras e a dizimação de suas tribos. O filme trata basicamente de lutas, guerras e principalmente das diferenças entre os povos sem fazer um juízo de valor, com o olhar centrado principalmente na força e fragilidade da condição humana.
O Sindicato agora estuda a possibilidade de levar o filme para o interior do estado ainda neste semestre. A diretora do Sinpro/RS, Cecília Bujes, diz que a intenção é repetir o sucesso do projeto, no qual o sindicato divulgou entre os professores filmes como Mauá – o Imperador e o Rei, Canudos, O que é isso companheiro e Anaí de Las Missiones. “Com isso, os professores tem condições de formar grupos de estudo com alunos para assistir a filmes brasileiros com preços especiais, além de colocá-los em contato com o nosso cinema e fatos da nossa história e cotidiano”, explica.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS