Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 053 | Ano 6| Jul 2001
EXTRAPAUTA
EXTRA PAUTA

Movimentos Sociais querem vinculação orçamentária específica para a Uergs

Encontro reafirma o compromisso histórico pela criação da Uergs

O Fórum Estadual de Movimentos Sociais pró-Uergs realizou o seminário A Uergs e os Movimentos Sociais, no último dia 18 de junho, no Hotel Umbu, em Porto Alegre. O encontro contou com a presença de mais de 50 representantes de sindicatos, federações, câmaras de vereadores, conselhos, MST, Assembléia Legislativa e entidades afins. Sob o tema “qual universidade estadual queremos” os
participantes debateram itens polêmicos: como as propostas do governo e de seus opositores, além de reafirmarem o compromisso histórico dos movimentos sociais com a criação e implantação da entidade. Das deliberações, ficou estabelecido que o conjunto de entidades apoia o acesso sem vestibular desde o início das atividades da futura Universidade, assim como a manutenção de uma gestão democrática com garantia de canais ágeis para o atendimento dos interesses da comunidade e sem burocracia. Também ficou estabelecido que no próximo dia 28 de junho cada entidade se encarregará de mobilizar suas bases para a realização de uma série de manifestações em todo o Estado em apoio a criação da Uergs, assim como uma audiência com o governador Olívio Dutra. Também é consenso entre as entidades que a futura instituição seja implantada dentro do projeto original do governo, ou seja, o de Universidade pública e gratuita.

A idéia é que os movimentos sociais possam acompanhar passo a passo o processo de regulamentação da Instituição junto ao Governo para que os pontos em que existem divergências possam ser colocados em consonância. Segundo Paulo César Carbunari, do Ceap e membro da comissão organizadora do Fórum , o principal ponto de divergência é que os movimentos sociais entendem que deve existir uma vinculação orçamentária específica para a Universidade e a proposta do Governo é disponibilizar recursos dentro dos 0,5% destinado às universidades comunitárias e 1,5% da Fapergs. “Não queremos que a Uergs já nasça tendo de disputar orçamento com outras instituições. A vinculação específica deve vir para somar”, sustenta Carbunari.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS