Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 056 | Ano 6 | Out 2001
CULTURA
CULTURA

Araújo Vianna é o próximo projeto

Jimi Joe

A montagem de Boiúna – A Lenda da Noite dá continuidade a um projeto de recuperação de partituras de compositores brasileiros com ênfase em autores gaúchos. Outra ópera, Carmela, de Araújo Vianna, estreada no início do século XX e, assim como Boiúna, esquecida com o passar dos anos, já havia sido recuperada pela Ospa. Também como aconteceu com Carmela, a partitura localizada de Boiúna tinha apenas a parte de piano e novamente Ion Bressan, que, além de maestro, é um compositor talentoso desde os tempos em que freqüentava o Instituto de Artes, precisou escrever as partes de orquestra. Assim como Carmela, Boiúna será gravada em vídeo e áudio.

O CD com o registro sonoro da ópera de Schültz Portoalegre estará disponível para o público no primeiro semestre do ano que vem, mas outros projetos já estão na ordem do dia da Ospa. “Há uma política da orquestra voltada para esse trabalho de recuperação de obras dos nossos compositores. Trata-se de preservar nossa relação com nossa cultura e nossa história. Se ficarmos sempre repetindo os mesmos erros, sem corrigi-los, nunca teremos uma cultura própria forte”, defende Bressan. “Temos uma cultura européia por natureza”, prossegue, em referência à grande parte dos repertórios das orquestras brasileiras, cujo enfoque principal geralmente recai sobre autores europeus. “As obras dos autores brasileiros, que já são pouco tocadas quando estes estão vivos, acabam caindo no esquecimento com a morte deles. É preciso recuperar isso.”

Com esse pensamento, a Ospa já tem planos para montar uma segunda ópera de Araújo Vianna em 2002. O Rei Galaor tem libreto em português e, assim como Carmela e Boiúna, será encenada no Teatro da Ospa com registro em vídeo e áudio. A continuidade do projeto está garantida com a retomada de Salamanca do Jarau, balê de Luís Cosme estreado nos anos 30 no Theatro São Pedro, em Porto Alegre, com orquestra regida por Heitor Villa-Lobos. “O balê de Luís Cosme tem como inspiração a história contada por Simões Lopes Neto em suas Lendas do Sul,” informa Bressan.

Uma dúzia de vezes

A montagem de Boiúna – A Lenda da Noite será mostrada em seis dias com 12 apresentações nos dias 12, 13,14, 19, 20 e 21 de outubro, às 16 horas e 18 horas. Para a apresentação do dia 19, a Ospa estará agendando a participação de escolas que queiram mostrar a ópera a seus alunos. O agendamento deve ser feito através da Secretaria Estadual de Educação. A montagem terá ingressos a preços populares vendidos antecipadamente ou na hora do espetáculo na bilheteria do Teatro da Ospa (Avenida Independência, 925).

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS