Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 148 | Ano 15 | Out 2010
SAÚDE
ESPECIAL

Ômega 3 e temperos previnem doenças

Curry, cúrcuma e canela, condimentos benéficos

Foto: Igor Sperotto

Curry, cúrcuma e canela, condimentos benéficos

Foto: Igor Sperotto

Há uma crença antiga, segundo a qual comer o olho do peixe tornava as pessoas mais inteligentes. Estudos relativamente recentes mostram que aquilo que ouvíamos de nossa mãe, tia ou avó, tem algum fundamento. Só que a “inteligência”, nesse caso a preservação das funções do cérebro no decorrer da vida, pode ser atribuída ao consumo do peixe inteiro, não apenas de uma parte. Pois é neste alimento que se encontra a maior concentração de ômega 3 (ácido graxo), substância que não pode faltar na dieta de quem quer prevenir doenças mentais na terceira idade.

Segundo Patrícia Chagas, nutricionista, doutora em Gerontologia Biomédica e professora na Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), há fortes evidências de que a adoção da dieta mediterrânea – rica em ácidos graxos – está correlacionada a uma maior longevidade, ao atraso do processo de deterioração da saúde e à redução no risco para o desenvolvimento das doenças de Parkinson e Alzheimer. Além do peixe (especialmente atum, arenque, sardinha, cavala e salmão), outras fontes de ômega 3 são óleo de canola, óleo de soja, azeite de oliva, rúcula, espinafre, linhaça e sementes de sálvia.

Os poderes do ômega 3 não param por aí. Principal nutrição que o feto recebe pela placenta, ele pode ajudar a prevenir a depressão pós-parto que, segundo estatísticas, costuma ocorrer de três a 20 vezes mais em países do ocidente do que em países do oriente. O neuropsiquiatra e pesquisador David Servan-Schreiber, autor de “Curar o stress, a ansiedade e a depressão sem medicamentos nem psicanálise”, aponta em seus estudos a importância do ômega 3 para a redução de sintomas relacionados a transtorno bipolar, ansiedade, depressão, esquizofrenia, insônia, fadiga, baixa libido e irritabilidade. Baseado em pesquisas feitas no Canadá, o neurocientista e psiquiatra Daniel Amen, acredita que o ômega 3 contribui para o alívio dos sintomas de TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade).

Vegetais ricos em antioxidantes fenólicos, que protegem os neurônios do sistema nervoso central, também estão na lista dos alimentos que previnem doenças mentais. Frutas como amora e maçã, verduras como espinafre e agrião e até a cafeína (em quantidade moderada) são recomendadas. Suco de uva, vinho e chocolate em pequenas quantidades, canela e cúrcuma (presente no curry) também figuram na lista. Patrícia Chagas alerta que não existe um determinado alimento que possa promover sozinho a saúde mental. “Uma dieta adequada e balanceada ao longo da vida é que poderá auxiliar na promoção da saúde, longevidade e qualidade de vida”, orienta.

Dieta mediterrânea

especial_6

Foto: Igor Sperotto

Foto: Igor Sperotto

– Dieta Mediterrânea 3 a 4 porções de frutas
– 5 a 6 porções de vegetais (substâncias antioxidantes, vitaminas e minerais)
– 3 porções de produtos lácteos na forma desnatada (fontes de Vitamina B12 e cálcio)
– 1 colher de sopa de azeite de oliva (rica em gordura monoinsaturada)
– 2 colheres de chá cheias de farinha de linhaça (rica em ácidos graxos ômega-3)
Fonte de pesquisa: http://hypescience.com

Ela sugere a adoção da dieta mediterrânea e seguir “Os 10 Passos para a Alimentação Saudável” (http://portal.saude.gov.br), do Ministério da Saúde. A dieta mediterrânea é composta por frutas, vegetais, legumes, cereais integrais, oleaginosas, sementes e grãos integrais, azeite de oliva extravirgem, peixe e frutos do mar, vinho tinto (consumo moderado), iogurtes desnatados e queijo branco. Os alimentos são minimamente processados, sazonais, frescos e preferencialmente cultivados na região. (Maricélia Pinheiro)

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS