Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 150 | Ano 15 | Dez 2010
ENSINO PRIVADO
UNIRITTER

50 milhões para expandir negócios

UNIRITTER

Foto: Igor Sperotto

Foto: Igor Sperotto

O último dia 9 de novembro, o Centro Universitário UniRitter deixou de ser instituição filantrópica para ter fins lucrativos ao ser incorporado pela multinacional de ensino Laureate International Universities – LIU (ou Laureate Inc.), com sede nos EUA, e que possui uma rede com mais de 50 universidades, em 24 países e 600 mil alunos. Conforme o diretor da network no Brasil, Luis Lopez, a ideia do grupo é duplicar ou até triplicar o número de alunos da rede no Brasil, que já soma 110 mil estudantes.

Com o fechamento do negócio, os novos investidores estão aportando R$ 50 milhões no UniRitter para expansão e criação de novos cursos, equipar laboratórios, reforçar os 11 cursos já existentes e ampliar para modalidades de pós-graduação na instituição.

A instituição anunciou também que se habilitará a receber bolsistas do ProUni, além de financiamento de um programa da Prefeitura de Porto Alegre. Está nos planos, ainda, investir no setor de EaD até 2012. Atualmente o UniRitter possui 220 professores (mestres e doutores) e aproximadamente 7 mil alunos.

Conforme o reitor Flávio D´Almeida Reis, “não se trata de venda”, mas de uma “aliança estratégica” para expandir a instituição e transformá-la em universidade nos próximos anos. Perguntado pela reportagem do Extra Classe, na coletiva/almoço que anunciou a parceria, o gestor não deixou claro em que moldes jurídicos foi estabelecida a sociedade. Ele alegou que “os detalhes da transação são estratégicos e de economia interna e que o UniRitter havia aprendido muitas lições com o negócio ma l – s u c e d i d o com o Grupo Anhanguera, há dois anos”. Porém, adiantou que não haverá mudanças na contratualidade dos professores e nem no perfil da ins t i tui ção.Rei s também fez questão de ressaltar que o perfil do alunado não deverá mudar, mas que a partir da sociedade com o grupo estrangeiro será possível estabelecer políticas de intercâmbio docente e discente com universidades estrangeiras que compõem a rede.

O diretor da network no Brasil, Luis Lopez, costarriquenho, há apenas sete meses no país, afirmou que a Laureate não pretende resgatar lucros antes de cinco anos e que o objetivo é que o UniRitter mantenha sua identidade e seja um centro de excelência, e se transforme em universidade o mais breve possível. Além do UniRitter, outras dez IES fazem parte da rede no Brasil, inclusive a Esade, no Rio Grande do Sul.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS