Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 197 | Ano 20 | Set 2015
FRAGA
COLUNISTA

Uzo peçoal

Uso pessoal, qualquer individualista sabe, é qualquer coisa indivisível por dois, tipo travesseiro de estimação, o pâncreas, um volante da megassena sorteada ou a Scarlett Johansson. Coisas assim já vêm pré-determinadas; a confusão começa na demanda coletiva. Daí a lei deu uma dura onde podia: nos verbos portar, levar, carregar, trazer, conduzir, transportar, que saíram direto da Gramática pro Código Penal. Agora, a depender do que alguém tenha consigo, tais verbos podem ir do carro pra viatura, do boteco pra delegacia, da rua pro tribunal. Confira as principais drogas causadoras das mais graves alterações nos usuários.

Sistema nervoso central. É a mais perigosa das drogas, sobretudo quando combinada com outras. Sem ele, não haveria vícios, mas ninguém vive sem seus estímulos. Ao sair de casa, leve-o discretamente dentro do crânio, pra não chamar atenção na hora da revista. Independentemente do que vc vá consumir – maconha orgânica ou transgênica, cocaína com ou sem glúten, ecstasy industrial ou feito na cozinha – não abuse do seu sistema nervoso central. Ele potencializa até água com gás.

Uzo peçoal

Ilustração: Rafael Sica

Ilustração: Rafael Sica

Dedo indicador e polegar opositor. Não existem armas tão devastadoras quanto essas duas extremidades. Está provado: pistolas, revólveres, fuzis AK-47 e submetralhadoras são artefatos inofensivos sem um dedo no gatilho. Caso resolva sair à noite com alguma arma de uso exclusivo das forças armadas, deixe em casa a mão destra, assim se evitam disparos acidentais.

Propina. Uma das piores ameaças a qualquer sociedade. É que o propinato é uma substância imperceptível nas cédulas que a gente tem nas mãos, nem mesmo olhando contra a luz. Após injetada nas licitações públicas, obras são paralisadas e viciados em propina têm delírios de inocência. Às vezes o propinato pode ser detectado em pequenas doses tanto em meias e cuecas quanto em doses cavalares em bancos suíços. O tolerável para uso pessoal não deve exceder a uma carteira recheada.

Ódio e ganância. Duas drogas de elevado teor destrutivo, com uso descontrolado na civilização atual. Os maiores efeitos colaterais nos usuários que consomem uma ou ambas são as síndromes Os Diferentes Que Se Ralem e Tudo Só Pra Mim. Mais fácil recuperar viciados em crack que viciados em ódio e ganância.
Etc.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS