Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 205 | Ano 21 | Jul 2016
ENSINO PRIVADO
COMUNITÁRIAS

Educação superior aprova proposta para acordo coletivo

Educação superior aprova proposta para acordo coletivo

Foto: Valéria Ochôa/Ascom Sinpro/RS

Professores reuniram-se em assembleia no início de junho

Foto: Valéria Ochôa/Ascom Sinpro/RS

Os professores das instituições comunitárias de educação superior (Ices), vinculadas ao Comung, aprovaram em assembleia geral, realizada no dia 4 de junho, em Porto Alegre, proposta para acordo coletivo plúrimo específico para esse segmento. A íntegra do acordo pode ser acessada no site do Sinpro/RS.

Resultado de negociação, ocorrida entre representantes das mantenedoras dessas instituições e dirigentes do Sinpro/RS e dos demais sindicatos de trabalhadores, o acordo estabelece o reajuste de 6% em março, completando 9% em maio e integralizando 11,08% em julho; abono de 3,58% do salário de março acrescido aos salários de setembro, outubro, novembro e dezembro e manutenção das demais cláusulas do Acordo Coletivo inaugurado em 2015.

O acordo abrange os professores da Universidade de Passo Fundo (UPF), Universidade Feevale (Feevale), Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC/RS), Universidade Católica de Pelotas (UCPel), Universidade de Caxias do Sul (UCS), Universidade de Cruz Alta (Unicruz), Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Unijuí), Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), Centro Universitário Univates (Univates), Universidade da Região da Campanha (Urcamp), Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), Centro Universitário Metodista (IPA) e Centro Universitário La Salle (Unilasalle).

DIREITOS – Professores recebem a versão impressa da CCT
O Sinpro/RS iniciou em junho a entrega dos livretos das Convenções Coletivas de Trabalho 2016, assinada pelo Sinpro/RS e Sinepe/RS, para os professores da educação básica e da educação superior. O documento, junto com a CLT, regra o salário e as condições de trabalho dos docentes do ensino privado gaúcho. “É fundamental que os professores tenham sempre em mãos a CCT. Além de conhecer os seus direitos, poderão, junto com o Sinpro/RS, fiscalizar o cumprimento”, destaca Amarildo Cenci, diretor do Sinpro/RS. Os professores também podem acessar o documento no site do Sindicato (www.sinprors.org.br) ou baixar o Aplicativo Sinpro/RS, disponível gratuitamente nas lojas Google Play e Apple Store.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS