Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
26/01/2018
MOVIMENTO

Por Stela Pastore

Foto: Igor Sperotto

Foto: Igor Sperotto


Cerca de mil profissionais de comunicação estiveram em Porto Alegre entre os dias 22 e 24 de janeiro na cobertura dos atos em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e no julgamento do recurso em 2ª instância no Tribunal Regional Federal da 4ª região. Apenas no TRF-4 foram mais de 300 profissionais credenciados de 10 países, entre jornalistas, fotógrafos, cinegrafistas e técnicos.

Na central de comunicação da Frente Brasil Popular se credenciaram aproximadamente 500 comunicadores, incluindo blogueiros e ativistas digitais das mídias alternativas, que atuaram nas diferentes atividades, como o ato dos Juristas pela Democracia, a mobilização Mulheres pela Democracia, a Ação Global Anti-Davos, do ato com Lula na Esquina Democrática, da caminhada pela democracia, e da vigília junto ao anfiteatro Por do Sol.

A estrutura de imprensa instalada pela Frente Brasil Popular funcionou na Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Instituições Financeiras do Rio Grande do Sul (Fetrafi-RS), no centro de Porto Alegre para facilitar o trabalho dos profissionais.

Entre os veículos nacionais e agências internacionais presentes estavam Reuters, Bloomberg, EFE, The Guardian, BBC, El País, Telesur, Agência Livre da América Latina (ALA), Folha de São Paulo, Estado de São Paulo, Correio Braziliense, Globo, SBT, Radioweb, Band, entre outros. Repórteres de estados como Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Grais e Brasília circularam pelas diferentes atividades.

Jornalistas de assessorias sindicais, de movimentos e parlamentares também atuaram gerando conteúdos para sites e redes nacionais e de países vizinhos, como Argentina e Uruguai. Um desses profissionais é o fotógrafo argentino Juan Buono, da agência Fotosur, que também produziu imagens para o parlamento argentino.

De acordo com a jornalista Eliane Silveira que atuou na organização da Central de Imprensa da FBP, um mês antes do julgamento um grupo de comunicação colaborativa e de cultura foi montado a partir de uma reunião em Porto Alegre, reunindo 80 profissionais que participaram da cobertura que incluiu a construção do site www.comlulaempoa.com.br e na administração das contas das redes sociais no Facebook, no Twitter e no Flickr.

Iniciativas como Mídia Ninja, TV Democracia, da Fundação Perseu Abramo, a Rádio Democracia, que produziu conteúdos para rádios comunitárias de todo o país e Rede da Legalidade, enviaram matérias para diversos espaços de comunicação.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS