Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 110 | Ano 12 | Jan 2007
PALAVRA DE PROFESSOR

Alexandra Dalpiaz

Vivemos em um mundo globalizado no qual a utilização de tecnologias da informação e de comunicação torna-se cada vez mais necessária. Dispomos de sistemas informatizados capazes de imprimir mais velocidade aos processos de comunicação em qualquer parte do mundo. São fenômenos que falam diretamente ao professor e ao mundo da escola e nos fazem refletir sobre a aplicação dessas novas ferramentas na busca de qualificação do processo de aprendizagem. Assim, qual a importância das tecnologias da informação na Educação a Distância, por exemplo?

Com o uso das tecnologias da informação na EaD, temos uma aproximação, mesmo que virtual, entre professores, alunos e tutores, e as relações estabelecidas, as formas de comunicação entre os sujeitos, são facilitadas e dão-se de forma rápida, podendo ocorrer por diversos meios: chat, fórum, e-mail, diário de bordo, blog, etc. Podem ser relações síncronas ou assíncronas, mas, em todas elas, a relação, as trocas, as construções de saberes, os esclarecimento de dúvidas acontecem efetivamente.

Os recursos tecnológicos são peças fundamentais no ensino a distância, mas não se pode deixar de estar atento ao fato de que os “recursos tecnológicos por si só não criam aprendizagens significativas” (Rev. Colabora, p. 38). O sucesso no uso das tecnologias da informação em uma modalidade a distância está vinculado aos usos que o professor faz delas de forma adequada, consistente, embasada teoricamente e coerente com os pressupostos do curso em questão. Depende, assim, da forma como os encontros, nesta modalidade, são planejados, pensados, sistematizados, considerando-se sempre o ritmo dos alunos, seus conhecimentos prévios e nestes incluem os seus conhecimentos tecnológicos. Ainda depende da forma como os professores planejam as atividades com qualidade e significado, explorando recursos audiovisuais e oportunizando aos alunos espaços para interlocução; pesquisa; exploração de sites; o navegar pelo prazer de conhecer; de descobrir; de aprender; de construir. Cabe ao professor ou ao curso contribuir para o desenvolvimento progressivo de uma postura mais autônoma por parte desse aluno, bem como a organização do material no ambiente virtual fazendo uso de uma linguagem clara, específica, objetiva, coerente e envolvente.

Quanto mais houver preocupação com a preparação, criação e adequação das aulas, mais facilidade os alunos terão em se apropriar das ferramentas, dos conteúdos, do estabelecimento de relações, vencendo os desafios diante do novo e para alguns até desconhecido mundo das tecnologias da informação e da Educação a Distância. Assim, se sentirão convidados a também fazer uso de programas, explorar outras ferramentas, enfim, incorporar novos meios de interação e criação virtual. Mas não basta ter os recursos disponíveis, é necessário saber suas potencialidades e utilizá-las de forma a viabilizar uma relação com os alunos que seja cooperativa, colaborativa e construtiva.

Para que se chegue a uma aprendizagem significativa em EaD, essas questões não podem ser jamais esquecidas.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS