Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 117 | Ano 12 | Set 2007
EXTRAPAUTA

A direção do Colégio Sevigné anunciou no dia 14 de agosto, em reunião com alguns pais de alunos, que a Associação Educacional São José, mantenedora dos colégios Sévigné e São José, de Porto Alegre, e Joanna D´Arc, de Rio Grande, a contratação da Associação Franciscana de Ensino Superior Bom Jesus, do Paraná, para a prestação de uma assessoria administrativa e pedagógica a partir de 2008. Com sede em Curitiba, o grupo Bom Jesus, controla cerca de 20 instituições de ensino em Santa Catarina, Paraná e São Paulo. O anúncio de mudanças no projeto pedagógico e no sistema de avaliação provocou a reação de pais de alunos.

A instituição se manteve reticente em relação à s mudanças informando apenas que “algumas renúncias” seriam inevitáveis. Em nota divulgada no dia 3, informou que a implantação da “rede de instituições educativas” tem origem em pesquisas sobre gestão educacional diante da obrigatoriedade da implantação do Ensino Fundamental de nove anos. A mantenedora informa que serão feitas “inovações pedagógicas, administrativas e infraestruturais voltadas para o atendimento dos estudantes na atualidade, preservando a identidade e a missão”.

O presidente da Associação de Pais e Mestres do Sévigné (Apamese), Marcos Cruz dos Reis, vê com naturalidade as mudanças na proposta pedagógica e na avaliação. “Não se pode pensar só em tradição”, disse. A posição não é acompanhada por um grupo de 30 pais de alunos. “Quem matricula os filhos no Sévigné o faz pelo diferencial do projeto pedagógico e pela proposta de diálogo com as famílias. Simplesmente fomos comunicados que a parceria já estava sendo feita”, protesta a educadora Lorena Nascimento, que tem dois filhos na instituição. Em documento, os pais questionam a adoção de apostilas, livros-texto didáticos elaborados em Curitiba e livros vendidos por editoras; a mudança na avaliação, e o desconhecimento, por parte do Grupo Bom Jesus, sobre o processo de inclusão de crianças e adolescentes.

Mais uma instituição vendida

Uma das maiores empresas privadas de Ensino Superior do Brasil, com 23 unidades em 20 cidades em São Paulo, Goiás e RS, a Anhanguera Educacional concretizou no dia 20 de julho a aquisição da Sociedade Educacional Noiva do Mar. O grupo passou a controlar as Faculdades Atlântico Sul, que atuam há cinco anos no RS e têm três sedes em Rio Grande e duas em Pelotas. Atualmente, são 2,9 mil alunos. O vice-presidente acadêmico da Anhanguera, José Luis Poli, diz que nem mesmo os valores das anuidades serão alterados e que será mantida grade curricular. “O histórico e tradição acadêmica serão mantidos pela Anhanguera, que reconhece o potencial de crescimento do Ensino Superior na região”, diz Poli. O diretor do Sinpro/RS em Passo Fundo, Ivo Lamar Mota, acredita que a aquisição poderá gerar novos postos de trabalho para professores na região, mas estranha que os representantes da Anhanguera não tenham retornado as solicitações para uma reunião com o Sindicato. Na primeira quinzena de agosto, o grupo Anhanguera iniciou negociações para a compra de outra instituição, a Faculdade Planalto (Faplan), em Passo Fundo.

Conselho regulamenta Educação a Distância

O Conselho Estadual de Educação (CEED/RS) aprovou no dia 22 de agosto uma resolução que estabelece normas e regulamenta a oferta de Educação a Distância (EaD). A partir de agora, o pedido de credenciamento da instituição de ensino e de autorização para funcionamento do curso deverá se pautar por referenciais de qualidade, como o acompanhamento do aluno por professores habilitados na área de atuação e tutores com habilitação mínima em nível de graduação. Outro avanço da medida: o tutor, que nos momentos presenciais dos cursos de EaD fazem a interação com os alunos, orientando e esclarecendo dúvidas, deverá ser um professor devidamente habilitado. “A norma do Conselho vem ao encontro da solução de alguns problemas que destacávamos em relação a essa oferta. Fica claro que não poderá acontecer a educação a distância sem a participação efetiva do professor, seja como responsável pela elaboração dos materiais a serem oferecidos para os alunos, seja como responsável pelo esclarecimento das dúvidas no processo de aprendizagem”, avalia Cecília Farias, diretora do Sinpro/RS e conselheira do CEED/RS. Confira a íntegra da Resolução:
www.ceed.rs.gov.br/ceed/dados/usr/html/resolucoes/reso_0293.pdf
FIES: inscrições até 28 de setembro

O Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) recebe até o dia 28 de setembro as inscrições de alunos de instituições privadas interessados em obter cobertura para mensalidades dos cursos de graduação. A ficha de inscrição e outras informações sobre o programa estão disponíveis no site da Caixa: www3.caixa.gov.br/fies

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS