Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 139 | Ano 14 | Nov 2009
ESPECIAL | ENSINO PRIVADO
ENSINO SUPERIOR

No dia 21 de outubro foi publicada a sentença do Juiz da 3ª Vara do Trabalho de Canoas, Luiz Fernando Bonn Henzel, que declara a nulidade da assembleia realizada nas dependências da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), em 3 de dezembro de 2007, para criação de um sindicato de professores da Educação Superior de Canoas, tornando sem efeito os atos e documentos dela emanados. Leia a íntegra em www.sinprors.org.br/ulbra/resultadosentenca.pdf

A medida confirma a representação sindical do Sinpro/RS junto aos professores da Educação Superior de Canoas. Esta decisão também torna definitivas as medidas cautelares liminarmente deferidas nas ações cautelares ajuizadas pelo Sinpro/RS na ocasião.

“Não nos surpreendeu a decisão do Judiciário trabalhista de Canoas, uma vez que é pública e notória a defesa dos interesses dos professores do ensino privado no município, com destaque para a Educação Superior”, pondera Marcos Fuhr, diretor do Sinpro/RS.

HISTÓRICO – No final de 2007 houve a tentativa de desvinculação dos docentes do ensino superior privado de Canoas da base do Sinpro/RS. A iniciativa surgiu na Ulbra, com amplo apoio da Reitoria anterior. Nos dias que antecederam a assembleia realizada na Ulbra, os professores das demais instituições de Educação Superior do município reafirmaram a unidade da categoria e a representação do Sinpro/RS em várias assembleias convocadas pelo Sindicato.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS