Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 157 | Ano 17 | Set 2011
ENSINO PRIVADO
TRABALHO EXTRACLASSE

Paralisação do dia 2 de outubro dará início à campanha do Sindicato para mobilizar a categoria e chamar a atenção da opinião pública para o excesso de trabalho extraclasse
Peça da Campanha nas redes sociais

Foto: D3 Comunicação

Peça da Campanha nas redes sociais

Foto: D3 Comunicação

Sindicato dos Professores do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinpro/RS) retoma a luta pela limitação do trabalho extraclasse com uma grande campanha pública. Dentre as ações para este semestre está um domingo de greve e a orientação aos professores para registrar as atividades extraclasse com vistas a futuras demandas judiciais. Chamadas em rádios, bus door e cartazes de rua já anunciam paralisação dos professores em outubro. A ideia é chamar a atenção da opinião pública para a mobilização e resistência dos professores à falta de limite ao trabalho extraclasse. “O dia 2 de outubro cairá em um domingo. Muitos perceberão isso quando a data estiver mais próxima. Os professores não deixarão de dar aula, mas vão preservar pelo menos esse domingo para o descanso, lazer, entretenimento e convívio familiar”, destaca Marcos Fuhr, diretor do Sinpro/RS.

O aumento exagerado do trabalho extraclasse, sem remuneração, segundo a direção do Sindicato, é a maior queixa dos professores do ensino privado. “Cada vez mais as instituições de ensino impõem aos professores tarefas e trabalho para serem realizados fora da carga horária. Para garantir qualidade do ensino e a própria saúde dos professores é fundamental que haja uma limitação deste trabalho”, argumenta Fuhr, lembrando que esta reivindicação esteve presente nas negociações com o Sinepe/RS nos últimos anos.

Os relatos dos professores identificam a falta de limites. “Uso em torno de 6 horas semanais com trabalhos extraclasse”, diz um professor que não quer se identificar. Dentre os abusos, os professores listam o registro duplo (em base fixa e on-line) da presença dos alunos (chamada), arquivamento de material, atualização do site e blog das instituições de ensino, atendimento à escola, pais e alunos por e-mail nos finais de semana.

Nas redes sociais

O Sindicato acredita que a grande propagação da campanha se dará nas redes sociais (facebook e twitter), com a participação de todos os professores. “As redes sociais têm um poder enorme de divulgação e mobilização”, acredita Cássio Bessa, diretor do Sindicato. A central de informação sobre o tema será o blog www.domingodegreve.com.br. A partir dele se dará a disseminação de peças para as redes sociais, assim como o debate público com o envolvimento de toda a comunidade.

Passivo trabalhista

A partir de outubro, o Sinpro/RS disponibilizará uma planilha eletrônica especialmente concebida para auxiliar os professores no registro de um diário sobre o trabalho extraclasse: datas, descrição das atividades desenvolvidas e dos horários. Esta política tem por base o entendimento de que toda a carga horária extracontratual é passível de cobrança como hora extra nas reclamatórias trabalhistas que venham a ser ajuizadas após o encerramento do contrato de trabalho.

Convênios Especiais

O Sindicato está firmando uma série de convênios especiais para estimular os professores a ocupar oDomingo de Greve com descanso, atividades de lazer e entretenimento. A lista será disponibilizada neste mês no site do Sinpro/RS (www.sinprors.org.br).

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS