Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 166 | Ano 17 | Ago 2012
JOSÉ ALONSO

Por José Antônio Alonso

Temas dominantes nas eleições

Ilustração: Pedro Alice

Ilustração: Pedro Alice

Em ano eleitoral, as atenções voltam-se para os diagnósticos e as propostas apresentadas pelos candidatos e suas coligações partidárias para velhos problemas na prestação de serviços de competência dos governos locais.

No primeiro encontro público entre os candidatos ao governo de Porto Alegre (PA), quatro temas dominaram o debate: saúde, educação, segurança e mobilidade urbana. São assuntos da maior importância para a cidadania, mas não são os únicos. Obviamente, há outros temas relevantes, tais como o saneamento básico (universalização e tratamento do esgoto sanitário, drenagem e limpeza urbana), a assistência social aos desvalidos, e a cultura, por exemplo. Esses problemas têm diferentes dimensões e complexidades dependendo da escala urbana e da localização da cidade considerada. O caso de Porto Alegre reveste-se de especificidades que decorrem do caráter metropolitano que a envolve e do comando que exerce sobre a Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA).

Nesse sentido, significa dizer que a agenda dos candidatos a prefeito de Porto Alegre, além de contemplar o conjunto de serviços típicos da esfera local de governo, deve considerar seriamente a relação que a capital mantém com as cidades que compõem o seu entorno imediato (RMPA). Isso é necessário porque a administração de Porto Alegre, além de atender as demandas oriundas dos seus residentes, deve também atender àquelas exercidas por milhares de pessoas procedentes de outras cidades que passam os dias úteis na capital trabalhando, estudando, comprando, fazendo negócios em geral.

Talvez, as maiores exigências exercidas por esse acréscimo diário de população recaia sobre os aspectos que envolvem a mobilidade urbana, justamente um dos temas, que além de estar na “moda”, foi e continuará sendo destacado nos debates entre os candidatos a prefeito de Poa. Por que esse tema é relevante numa cidade como Poa? Porque a mobilidade urbana trata da circulação, do deslocamento de pessoas, mercadorias, serviços, e, porque não dizer, de informações no meio urbano. Podemos afirmar que a eficiência global da cidade depende, em grande medida, das condições mais ou menos favoráveis de mobilidade estabelecidas.

Portanto, espera-se que os candidatos tenham uma compreensão clara de que a mitigação dos problemas da mobilidade urbana exigem um olhar para além das fronteiras locais. Exige, mais ainda, rigor na adoção do transporte coletivo (de massa) em detrimento do transporte individual. A atual estrutura viária e a que possa vir a ser criada, não darão conta da quantidade de veículos que são acrescidos à frota já circulando na cidade e na região.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS