Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 172 | Ano 18 | Abr 2013
ENSINO PRIVADO
UNISINOS

O processo de demissão de professores, mais uma vez, estendeu-se para além do recesso, marcando o início do semestre letivo. Na Unisinos foram demitidos 42 professores, a maior parte deles com muitos anos de atuação na instituição. “Esta atitude causou estranheza aos professores e ao Sindicato, uma vez que a Universidade tinha por prática informar os professores do desligamento ao final do semestre letivo. Neste ano, os docentes foram avisados pelo correio ao final das férias, sem tempo hábil para buscar outras colocações no mercado de trabalho”, afirma André Portella, diretor da Regional São Leopoldo do Sinpro/RS. Muitos docentes tiveram doutorados interrompidos, projetos de pesquisa, bem como recusaram outras oportunidades de trabalho surgidas durante o recesso. “O Sinpro/RS repudia esse tipo de prática, própria de instituições mercantilistas”, reforça Portella.

Conforme relato de um dos docentes, após insistir para saber o motivo de sua demissão foram alegadas ordens superiores, reclamações de alunos e falta de perfil profissional. O professor estava na instituição há cinco anos e tinha projetos de pesquisa em andamento.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS