Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 191 | Ano 20 | Mar 2015
ENSINO PRIVADO
NEGOCIAÇÃO SALARIAL 2015

Mais de 40 encontros estão sendo realizados de 26 de fevereiro a 11 de março em 21 cidades do estado

A reunião inaugural de negociação entre o Sindicato dos Professores (Sinpro/RS) e o Sindicato patronal (Sinepe/RS) ocorrerá no dia 10 de março, em Porto Alegre, quando será fechado o cronograma das rodadas de negociação (datas e horários para as duas comissões: educação básica e educação superior). Neste ano, o Sinpro/RS inaugurou um processo mais compacto para a campanha salarial, com maior aproximação das etapas. A pauta de reivindicações, que tradicionalmente era entregue ao Sindicato patronal no final do ano anterior, agora está sendo definida no início do ano letivo, próximo ao início das negociações.

Categoria decide sobre a pauta 2015 em Assembleia em várias regiões

Foto: Igor Sperotto

Categoria decide sobre a pauta 2015 em Assembleia em várias regiões

Foto: Igor Sperotto

Para a definição da pauta, o Sindicato está mobilizando os professores em 40 encontros realizados entre os dias 26 de fevereiro e 11 de março em 21 municípios, de forma segmentada por nível de ensino. Até o fechamento desta edição do Extra Classe, dentre os pontos mais discutidos na assembleia estão o reajuste salarial e a remuneração de todo o trabalho realizado pelo professor. “Acreditamos que este seja o melhor momento para transformar expectativas em reivindicações e dar início à Campanha Salarial”, afirma Flavio Henn, diretor do Sindicato. Para a direção do Sinpro/RS, no reinício das atividades letivas, após o descanso das férias, reafirma-se o vínculo individual e coletivo dos professores com a sua instituição empregadora, assim como também são renovados os compromissos e expectativas em relação ao trabalho e à condição profissional.

MONITORAMENTO O Sindicato dos Professores acompanha, anualmente, o reajuste das mensalidades praticado pelas instituições de ensino. Em 2015, o reajuste médio das  mensalidades na educação básica está em 9,47% e na educação superior em 9,09%. Para a direção do Sinpro/RS, o reajuste das mensalidades reflete o momento econômico vivido pelas instituições de ensino. “Deveria refletir também no salário dos docentes”, acentua Henn.

MOBILIZAÇÃO As negociações salariais com o Sinepe/RS têm sido marcadas, segundo o Sinpro/RS, pela má-vontade e a resistência patronal em melhorar salário e condições de trabalho. “A direção do Sinpro/RS tem expectativa de que em 2015 a mudança do período de definição das reivindicações seja apenas uma inovação, que somada ao apoio, presença e participação dos professores, farão a diferença no resultado final da campanha salarial”.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS