Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 197 | Ano 20 | Set 2015
ENSINO PRIVADO
UERGS

O mês de agosto foi de mobilização intensa para os professores da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs), que prometem manter mobilização no próximo período em defesa da Universidade. No último dia 18, os professores se uniram aos servidores estaduais, em Porto Alegre, com caminhada e protesto em frente à sede do governo do estado. Em assembleia, definiram pela paralisação de três dias, a partir do dia 19, em todas as unidades da Universidade, ocasião em que docentes, alunos e técnicos administrativos se reuniram para discutir o futuro da instituição, além de realizar manifestações nas áreas centrais das cidades.

Professores da Uergs na mobilização dos servidores no centro de Porto Alegre

Fotos: Leonardo Savaris

Professores da Uergs na mobilização dos servidores no centro de Porto Alegre

Fotos: Leonardo Savaris

Segundo o presidente da Associação dos Docentes da Uergs (Aduergs), Paulo Groff, 18 das 24 unidades aderiram à paralisação. “Foram dias de intensa reflexão e discussão, tanto internamente com os alunos, como de mobilização nas ruas e praças. Foi uma forma de resistência devido à insegurança que estamos vivendo em relação ao futuro da instituição”, afirmou.

Ele destacou ainda a passeata feita em Frederico Westphalen, com repercussão na imprensa local, e as mobilizações públicas de Montenegro, Cruz Alta, São Francisco de Paula e Santa Cruz, Osório, entre outras. A dificuldade da negociação salarial 2015 com o governo é outro ponto em discussão. As reuniões foram retomadas em agosto, após o impasse sobre o posicionamento do governo de não concordar em manter o poder aquisitivo dos salários. “Estamos acompanhando de perto todas essas questões, pois sabemos que existem setores no governo que não têm interesse que a Uergs se consolide“, destaca Amarildo Cenci, diretor do Sinpro/RS. O Sindicato está acompanhando também os projetos de reestruturação das fundações que estão tramitando na Assembleia Legislativa e podem atingir a Uergs e a Fundação Liberato. Há três meses o pagamento da íntegra dos salários dos professores vem sendo garantido por liminar na Justiça do Trabalho, obtida pelo Sinpro/RS

NOTAS 
EDUCAÇÃO INFANTIL – O Sinpro/RS iniciou a entrega dos cadernos com a Convenção Coletiva de Trabalho 2015 da educação infantil para os professores, durante a visita do diretor ou representante do Sindicato na instituição de ensino. O documento, junto com a CLT, regra o salário e as condições de trabalho dos docentes. O Sindicato disponibiliza versões digitais da CCT no site (www.sinprors.org.br/cct) para impressão e download.

VIOLÊNCIA – O Núcleo de Apoio ao Professor Contra a Violência (NAP), do Sinpro/RS, realiza, no dia 26 de setembro, mais uma edição do Roda de Conversas. Desta vez, com o tema Quais medos calam o professor? A atividade será às 9h, na sede da Associação Psicanalítica de Porto Alegre (Rua Faria Santos, 258, em Porto Alegre), com a coordenação do psicanalista Gerson Pinto. Entrada franca.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS