Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 204 | Ano 21 | Jun 2016
ENSINO PRIVADO
SINDICALIZAÇÃO

Quase metade da meta anual de sindicalização do Sinpro/RS foi atingida em maio. São 1.006 novos professores que se associaram desde o início do ano, chegando a 42% da meta de 2016. A expectativa é fechar o semestre com mais de 50% da meta alcançada. “A cada ano registramos crescimento no quadro social”, destaca Cássio Bessa, diretor do Sinpro/RS.

“A associação de cada professor é fundamental, pois fortalece o Sindicato e beneficia toda a categoria”. Segundo ele, os professores se sentem representados pelo Sindicato na luta por salários e condições de trabalho e também têm interesse nos serviços disponibilizados, como os convênios com planos de saúde, plano de previdência privada, Casa do Professor, entre outros.

No ensino privado gaúcho atuam 33.701 professores nos diferentes níveis e modalidades de ensino. Destes, 20.667 são associados ao Sinpro/RS. Somente nos últimos dois anos em torno de 3,5 mil professores se sindicalizaram. Um dos poucos sindicatos de trabalhadores da iniciativa privada do país a ter mais de 60% da categoria associada, o Sinpro/RS adotou, há mais de 20 anos, a realização de campanhas anuais de sindicalização. “A livre associação passa pela escolha do professor. Por isso o empenho do Sindicato neste sentindo”, destaca Bessa.

Devolução do Imposto Sindical
O Sinpro/RS iniciou em maio a devolução do Imposto Sindical 2016 aos professores associados. Neste ano serão restituídos cerca de R$ 1,6 milhão via cheque nominal cruzado  entregue pelos dirigentes do Sindicato aos professores nas visitas às escolas e instituições de ensino superior. “A devolução desses valores reafirma nosso propósito de que a sustentação financeira do Sindicato tem como base a contribuição espontânea dos professores. Mais que uma política, essa é uma atitude concreta”, afirma Amarildo Cenci, diretor do Sinpro/RS. Este é o 24° ano em que o Sindicato efetua a devolução do Imposto Sindical aos seus associados.

A devolução é parcial, uma vez que os valores descontados compulsoriamente nos salários de março, recolhidos à Caixa no final de abril, são rateados entre o Sindicato, Federação regional, a Confederação nacional, a Central Sindical e o Ministério do Trabalho e Emprego. A restituição é feita após o efetivo recolhimento dos valores descontados e o encaminhamento ao Sinpro/RS das listagens de professores com os valores correspondentes.

Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.