OPINIÃO

Aglomerígenas

A Fragalogia ordena a proximidade entre pessoas e exemplares da vida não inteligente
FRAGA / Publicado em 16 de outubro de 2020

Rafael Sica

Rafael Sica

Assim como a Ufologia classifica os níveis de encontros imediatos entre seres humanos e alienígenas, a Fragalogia ordena a proximidade entre pessoas e aglomerígenas. A seguir, os impactos dos graus de contato com idiotígenas, imbecilígenas, estupidígenas e outros exemplares de vida não inteligente ao redor.

Aglomeração de 10º grau: mídia. É quando se toma conhecimento dos aglomerados à distância. Por fotos, vídeos e notícias se constata a ameaça: multidões nas ruas, no comércio, em lugares públicos. Mesmo de longe é de apavorar: são centenas, milhares, milhões.

Aglomeração de 9º grau: vista da janela. É a prova mais real de que estamos cercados de aglomerígenas. As visões diárias confirmam: a cada dia aumentam. E lá de embaixo já miram você no seu andar.

Aglomeração de 8º grau: olho mágico. As evidências do lado de fora da sua porta assustam: sons, ruídos, falas. Você segura a respiração, espia e vê figuras amontoadas na área comum, saindo ou entrando nos seus apês. Parecem vizinhos, mas a ausência de máscara indica: aglomerígenas!

Aglomeração de 7º grau: elevador. Quem necessita de saída eventual começa a correr riscos logo ao descer ou subir. O típico alienígena, embora com máscara, vai querer entrar no mesmo elevador que você. Para sobreviver ao risco, basta ceder a vez.

Aglomeração de 6º grau: calçada. Na rua, as chances de contato são temíveis: circular a pé exige reconhecer os diferentes pedestrígenas. Com ou sem máscara, vêm direto na sua direção. Esbarrões e espirros, tosse e perdigotos são seus meios de contágio. Desviar é viver.

Aglomeração de 5º grau: mercadinhos, farmácias, academias, salão de beleza, agências bancárias etc. É inevitável entrar num ninho de aglomerígenas. No mix de clientes, se identifica os monstros: não respeitam o distanciamento, encostam uns nos outros. Isole-se.

Aglomeração de 4º grau: shoppings, supermercados, restaurantes, transporte público etc. Quanto mais cheio, pior o perigo. Pro consumismo existe vacina: uma dose de força de vontade. Pro aglomerígena só existe o negacionismo.

Aglomeração de 3º grau: praias e parques lotados, salas de aulas. Quem se mete nessas circunstâncias já foi abduzido.

Aglomeração de 2º grau: festas de aniversário, baladas, ajuntamentos junto a bares, sexo com desconhecidos. Em ambientes assim, a morte não manda recado: entrega pessoalmente.

Aglomeração de 1º grau: suruba com estranhos. Roleta-russa com tambor cheio. E ao sair dali, cada aglomerígena vai continuar atirando por dias e dias em desavisados.

Com ou sem pandemia, sensatos são os ermitões.

Comentários