POLÍTICA

Banners associam esquerda ao tráfico

Espalhados em prédios da capital gaúcha, banners convocam para atos de 7 de setembro e associam esquerda ao tráfico e à alta de impostos
Da Redação / Publicado em 12 de agosto de 2022

Envios diários

Envios diários

Banners associam esquerda ao tráfico

Foto: Igor Sperotto

Foto: Igor Sperotto

Na última quinta-feira, 10, os vereadores de Porto Alegre Matheus Gomes (PSOL)  e  Leonel Radde (PT), que é também pré-candidato a deputado estadual,  denunciaram ao Ministério Público Eleitoral a existência de uma série de banners não assinados (apócrifos) com mensagens de ódio e fake news. Os banners convocam atos antidemocráticos no 7 de setembro e associam as candidaturas de esquerda ao PCC, aumento dos impostos, ao narcotráfico e à censura.

Nossa reportagem flagrou pelo menos dois prédios da capital – um na Benjamin Constant e outro próximo ao Viaduto da Conceição – contendo informações falsas sobre as candidaturas de esquerda em favor da candidatura Bolsonaro.

Para Radde, as peças publicitárias não assinadas configuram propaganda eleitoral antecipada, infringem as regras de publicidade política e também as regras de publicidade do município de Porto Alegre.

De acordo com Radde, a empesa Life, responsável pela colocação dos outdoors afirma que a veiculação já está paga e a retirada implicará em multa aos condomínios. Porém não informam quem foram os contratantes.

Radde , que é policial civil, alega que a iniciativa é criminosa, de caráter “fascista” e que sua candidatura está acionando a Justiça para que seja informada a autoria para que se possa responsabilizar os autores. “Além de não serem assinados esses outdoors veiculam informações falsas. São fake banners”, diz o vereador.

Comentários