EDUCAÇÃO

50 Sem Terra se formam em Medicina Veterinária no RS

Filhos de acampados e assentados ligados ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra de vários estados fizeram a graduação na UFPel via Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária
Por Redação / Publicado em 30 de junho de 2022

Envios diários

Envios diários

Envios diários

Foto: MST/Divulgação

OS formandos são oriundos do Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia, Tocantins, Bahia e Maranhão

Foto: MST/Divulgação

A cerimônia de colação será nesta sexta-feira, 1º, às 19h, no auditório da Faculdade de Agronomia Elisei Maciel, da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), campus Capão do Leão. A festa de comemoração será a partir das 21h30 no Centro de Tradições Gaúchas Tomaz Luis Osório, em Pelotas.

Os 50 jovens integram a terceira turma especial de Medicina Veterinária, batizada de Kênia Ferreira em homenagem a educanda do Mato Grosso, da segunda turma especial, que faleceu.

Os estudantes são oriundos de 14 estados do Brasil: Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia, Tocantins, Bahia e Maranhão.

“A importância de formar 50 estudantes é garantir o acompanhamento ao projeto de desenvolvimento da Reforma Agrária Popular e contribuir com as áreas de assentamentos, bem como na organização social da classe trabalhadora”, observa Cátia Gonçalves, da coordenação pedagógica do curso, sobre a relevância de ter Sem Terra com curso superior.

O curso já formou duas turmas. “A primeira turma formou 44 educandos e a segunda, 46. E agora vamos formar a terceira turma e estamos com a quarta turma no sexto semestre”, explica.

Ela ainda destaca que já foi aprovada pela Ufpel a quinta turma de medicina veterinária via Pronera. “O intuito é lançar o edital para nova turma no segundo semestre deste ano, logo a seguir à formatura da terceira turma”, finaliza.

Foto: MST/Divulgação

A terceira turma foi batizada de Kênia Ferreira em homenagem a educanda do Mato Grosso, da segunda turma especial, que faleceu

Foto: MST/Divulgação

Comentários

Siga-nos