EDUCAÇÃO

Sinpro/RS obtém liminar para realizar votação em escola de Viamão

Sindicato dos Professores obtém na Justiça autorização para instalar urna e mesário para colher votos dos professores da escola Cesi Santa Isabel
Por Gilson Camargo / Publicado em 19 de outubro de 2022

Foto: Reprodução

Escola de Viamão tentou impedir que professores votassem no processo eleitoral do Sinpro/RS, que ingressou com liminar no judiciário trabalhista

Foto: Reprodução

A juíza do Trabalho de Viamão, na região metropolitana de Porto Alegre, concedeu na tarde desta quarta-feira, 19, liminar em favor do Sindicato dos Professores do Rio Grande do Sul (Sinpro/RS).

Na terça-feira, a direção da escola Cesi Santa Isabel, de Viamão, surpreendeu a entidade ao não permitir o acesso de mesários credenciados e dirigentes sindicais para efetivar a votação na sala dos professores da instituição de ensino.

O sindicato, que representa os professores do ensino privado e está em processo eleitoral para renovação da sua direção colegiada, recorreu ao judiciário trabalhista.

Na decisão, a magistrada ressalta que o direito de acesso da representação sindical à escola é prevista em norma coletiva. “Tenho por comprovada a existência de garantia assegurada em norma coletiva de acesso aos dirigentes sindicais e mesários credenciados na eleição de renovação da direção sindical do Sinpro/RS”, destacou a juíza Patrícia Dornelles Peressutti, que fixou multa diária de R$ 10 mil em caso de descumprimento.a região metropolitana legre, concedeu na tarde desta quarta-feira, 19, liminar em favor do Sindicato dos Professores do Rio Grande do Sul (Sinpro/RS).

Na terça-feira, a direção da escola Cesi Santa Isabel, de Viamão, surpreendeu a entidade ao não permitir o acesso de mesários credenciados e dirigentes sindicais para efetivar a votação na sala dos professores da instituição de ensino.

O sindicato, que representa os professores do ensino privado e está em processo eleitoral para renovação da sua direção colegiada, recorreu ao judiciário trabalhista.

Na decisão, a magistrada ressalta que o direito de acesso da representação sindical à escola é prevista em norma coletiva. “Tenho por comprovada a existência de garantia assegurada em norma coletiva de acesso aos dirigentes sindicais e mesários credenciados na eleição de renovação da direção sindical do Sinpro/RS”, destacou a juíza Patrícia Dornelles Peressutti, que fixou multa diária de R$ 10 mil em caso de descumprimento.

Comentários