JUSTIÇA

Flavio Dino determina indenização por morte de Genivaldo nas mãos de policiais rodoviários federais

Em maio de 2022, Genivaldo foi parado por transitar sem capacete. Após agressões de agentes, o motociclista morreu asfixiado em porta-malas de uma viatura da Polícia Rodoviária Federal
Por Marcelo Menna Barreto / Publicado em 6 de janeiro de 2023

Foto: Reprodução Redes Sociais

Os policiais utilizaram spray de pimenta e gás lacrimogêneo por 11 minutos e 27 segundos, segundo perícia que atestou a causa da morte por asfixia mecânica e insuficiência respiratória aguda

Foto: Reprodução Redes Sociais

O ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Flávio Dino (PSB), anunciou na manhã desta nesta sexta-feira, 6, que familiares de Genivaldo de Jesus Santos serão indenizados.

Genivaldo morreu em maio do ano passado em decorrência da abordagem de policiais rodoviários federais em Sergipe.

“É clara a responsabilidade civil, à luz da Constituição. Determinei ao nosso Secretário de Acesso à Justiça, Marivaldo Pereira, providências visando à indenização legalmente cabível”, registrou Dino em seu Twitter.

Genivaldo foi parado por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) na BR-101, no município de Umbaúba (SE), por transitar de moto sem utilizar capacete.

Alegando reação à abordagem, os policiais William de Barros Noia, Kleber Nascimento Freitas e Paulo Rodolpho Lima Nascimento ,após a imobilização do motociclista, o colocaram no porta-malas da viatura da PRF. Os policiais utilizaram spray de pimenta e gás lacrimogêneo por 11 minutos e 27 segundos, segundo perícia que atestou a causa da morte por asfixia mecânica e insuficiência respiratória aguda.

Na versão de populares que registraram a ação em seus celulares, Genivaldo tentava explicar que usava medicação para distúrbios psiquiátricos quando começou a receber uma série de agressões.

O sobrinho da vítima, Wallison de Jesus, confirmou o fato e que o tio sofria de esquizofrenia e fazia tratamento há 18 anos.

Comentários