POLÍTICA

VazaJato: procuradora tem ação restringida

Líderes da força tarefa da Lava Jato atendem conselho do juiz Sergio Moro e tutelam participação de Laura Tessler em audiências do processo do ex-presidente Lula
Por Marcelo Menna Barreto / Publicado em 21 de junho de 2019

Na noite desse feriado de quinta-feira, 20, mais uma vez o jornalista Reinaldo Azevedo, do programa O é da Coisa, na BandNews FM, no qual é âncora. antecipa um trecho de conversas entre procuradores que chegou às mãos dos jornalistas do The Intercept Brasil. A revelação de Azevedo, que se considera de direita liberal, coloca em xeque as afirmações do atual ministro da Justiça e Segurança Pública que, na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, falou aos parlamentares que sua interferência seria uma fantasia de um site sensacionalista. “Tanto é que essa pessoa continuou realizando atos processuais e audiências”, falou Moro.

O ex-juiz, que tem usado como estratégia a afirmação da possibilidade de adulteração das conversas “hackeadas” em suas palavras, não contava que trechos de conversas entre Deltan Dallagnol e o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima mostram a decisão de que a procuradora Laura Tessler só deveria realizar audiências se estivesse acompanhada dos procuradores Júlio Noronha e Roberto Pozzobon, após a queixa de Moro.

As conversas entre Deltan e Lima, depois do coordenador da Lava Jato em Curitiba ter se certificado de que o colega não estava vendo as mensagens em um ambiente onde outros integrantes poderiam ter acesso, foram mais longe: Laura Tessler não poderia estar sozinha principalmente em audiências associadas ao processo do ex-presidente Lula.

Comentários