POLÍTICA

Presidente da Funai é expulso de evento da ONU em Madri

Marcelo Xavier assistia a uma reunião do Fundo para o Desenvolvimento dos Povos Indígenas da América Latina e Caribe quando foi identificado por indigenista
Por Marcelo Menna Barreto / Publicado em 21 de julho de 2022

Envios diários

Envios diários

Foto: Reprodução/Youtube

Aos gritos de “miliciano”, o indigenista Ricardo Rao expulsa o presidente da Funai, Marcelo Xavier de encontro na ONU

Foto: Reprodução/Youtube

Sob os gritos de “Fora miliciano”, o presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Marcelo Xavier se retirou na manhã desta quinta-feira, 21, do 3º Encontro de Altas Autoridades da Ibero-América com Povos Indígenas que está sendo realizado em Madri, Espanha.

A expulsão de Xavier, que é delegado da Polícia Federal, ocorreu quando o indigenista Ricardo Rao, presente no evento, revoltou-se e começou a gritar em espanhol que o bolsonarista não era uma pessoa digna de estar no encontro.

“Este homem não pertence a este local. Não é digno de estar aqui. O Itamaraty é uma vergonha. O Itamaraty está sendo babá de miliciano. Marcelo Xavier é um miliciano. Este homem é um assassino. Este homem é responsável pela morte de Bruno Pereira, pela morte de Philips. Você é um miliciano, Xavier. Bandido. Vai embora mesmo, vai para fora” – bradou Rao.

Não houve reação à manifestação do indigenista e os presentes assistiram à saída de Xavier com um silêncio que só foi interrompido por um grito em espanhol de “Fora Bolsonaro”.

Ricardo Rao era servidor da Funai e foi exonerado no início do governo Bolsonaro, em 2019. Desde então, se exilou na Europa porque teme ser assassinado por causa do trabalho de fiscalização que fez para coibir invasões e garimpo ilegal em terras indígenas.

Rao foi colega de Bruno Araújo Pereira no Curso de Formação de Política Indigenista da Funai. No início do seu exílio, viveu em Kristiansand, extremo sul da Noruega. Ele foi abrigado na condição de asilado.

Comentários

Siga-nos