Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 118 | Ano 12 | Out 2007
CULTURA

Acontece em Porto Alegre, de 26 de outubro a 11 de novembro, a 53ª Feira do Livro. As atividades da programação geral da feira estarão distribuídas em vários locais do entorno da Praça da Alfândega, como a Casa de Cultura Mário Quintana, Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, Memorial do Rio Grande do Sul e Santander Cultural. A área infantil e juvenil da feira continuará funcionando no Cais do Porto, das 9h às 21h. E o restante da feira ficará aberto ao público das 13h às 21h. Para este ano, está confirmada a participação de 171 expositores livreiros, sendo 118 na área geral, 33 na área infantil e juvenil e 20 na internacional. A programação também envolve sessões de autógrafos, oficinas, apresentações artísticas e palestras. A Feira do Livro de Porto Alegre é uma das mais antigas do país, considerada a maior realizada ao ar livre no continente americano e a terceira mais importante no Brasil. Sua primeira edição ocorreu em 1955 e seu idealizador foi o jornalista Say Marques, diretor-secretário do Diário de Notícias. Inspirado por uma feira que visitara na Cinelândia, no Rio de Janeiro, Marques convenceu livreiros e editores da cidade a participarem do evento. O objetivo era popularizar o livro, movimentando o mercado e oferecendo descontos atrativos. Na época, as livrarias eram consideradas elitistas. Por esse motivo, o lema dos fundadores da primeira Feira do Livro era: “Se o povo não vem à livraria, vamos levar a livraria ao povo”.

PATRONO – O patrono da 53ª Feira do Livro de Porto Alegre é o professor da PUCRS, político (ex-vice-governdor), jornalista, escritor, crítico literário e de teatro Antonio Hohlfeldt. A notícia foi divulgada no dia 25 de setembro, no já tradicional café da manhã no Bistrô do Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli (Margs). O evento contou com a presença dos patronáveis Airton Ortiz, Carlos Urbim, Jane Tutikian, Luiz Coronel, Paulo Flávio Ledur, Hohlfeldt e os ex-patronos Alcy Cheuiche, Armindo Trevisan, Frei Rovílio Costa, Donaldo Schüler e Ruy Carlos Ostermann. Hohlfeldt substituirá Alcy Cheuiche, que passa o “posto” para o colega. Nascido em Porto Alegre, em 1948, Hohlfeldt foi vereador e vice-governador do Estado. Atualmente escreve uma coluna semanal de crítica teatral no Jornal do Comércio. O novo patrono foi escolhido pelo colegiado formado por associados da Câmara Rio-Grandense do Livro (CRL), diretoria, patronos de feiras anteriores e, ainda, reitores de universidades, diretores de faculdades, titulares de entidades culturais e associativas ligadas à área do livro. “É uma tarefa muito importante, é muita responsabilidade representar todos os escritores”, destaca Hohlfeldt.

POLÊMICA – No mesmo dia em que Hohlfeldt foi anunciado patrono, também foi noticiada ação civil pública movida pelo Ministério Público de São José do Norte para que o novo patrono devolva aos cofres do município a quantia de R$ 26,1 mil por salários recebidos indevidamente durante os nove meses que exerceu o cargo de secretário-geral de governo. A função assumida em janeiro, na tese do MP, não teria sido exercida dentro dos horários estabelecidos pela legislação municipal devido aos seus compromissos como professor universitário serem concomitantes. Hohlfeldt exonerou-se do cargo. O ex-secretário declarou no programa Bom dia Rio Grande, da Rádio Gaúcha: “Eu trabalhei, eu gastei do meu bolso com passagens de avião, hotel, gasolina, desgaste de carro. Se houver uma decisão de que eu tenha de devolver, eu devolvo. Mas eu quero saber quem vai pagar a minha outra despesa”. (Juliana Barcellos)

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS