Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 164 | Ano 17 | Jun 2012
ENSINO PRIVADO
KENNEDY

O Sinpro/RS denunciou no final de maio o Colégio Kennedy, de Porto Alegre, ao Ministério Público do Trabalho – MPT. Desta vez o motivo foi a iniciativa de promover a eleição pelos professores para Delegado Sindical junto ao Sinpro/RS. “Nos surpreendeu muito a atitude inusitada. Eleger um delegado é uma prerrogativa do Sindicato, portanto, esse processo não tem legitimidade e tem por objetivo fraudar o cumprimento do Termo de Ajuste de Conduta assinado com o MPT ano passado”, destaca Marcos Fuhr, diretor do Sinpro/RS.

O Colégio, mantido pela Associação Educacional Santa Rita de Cássia, foi alvo de reiteradas denúncias nos últimos anos ao MPT por assédio moral e não cumprimento da legislação trabalhista. Denúncias feitas pelo Sinpro/RS relatam, principalmente, casos de assédio moral contra os professores com pressão psicológica, ameaças, jornadas excessivas, falta de infraestrutura e outros constrangimentos. Em 2011, a instituição assinou TAC junto ao MPT comprometendo-se a eliminar essas situações, o que não vem ocorrendo.

No início deste ano, o Colégio demitiu 15 professores sem efetuar a homologação das suas rescisões contratuais. Esses docentes ficaram sem acesso ao seguro-desemprego e FGTS. Até o fechamento desta edição, ainda restavam sete professores nessa condição, que são acompanhados pelo Departamento Jurídico do Sinpro/RS.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS