EDUCAÇÃO

Assembleia de credores da Recuperação Judicial da Aelbra suspensa até novembro

Credores da Aelbra propõem prazo para atualizar avaliação de bens imóveis que serão alienados para a quitação das dívidas da instituição
Da Redação / Publicado em 23 de setembro de 2021

Foto: Ulbra/ Divulgação

Prédio da Reitoria da UJlbra, campus Canoas

Foto: Ulbra/ Divulgação

A Assembleia de Credores da Recuperação Judicial (RJ) da Aelbra, reinstalada na tarde de quarta-feira, 22, aprovou por 94,13% dos votos uma nova suspensão dos trabalhos com o objetivo de viabilizar uma avaliação atualizada dos bens imóveis da mantenedora da Rede Ulbra de Educação e ajustes no Plano de Recuperação Judicial (PRJ) aos interesses dos credores.

A reinstalação da Assembleia ficou agendada para as 14h do dia 25 de novembro. O Sinpro/RS, que integra a Comissão de Credores votou favoravelmente à suspensão. “O Sindicato mantém tratativas junto à Aelbra e à consultoria especializada (FTI) contratada para fazer o acompanhamento do fluxo de caixa e encaminhamentos com vistas à definição de um PRJ que possa ser aprovado pela Assembleia de Credores”, explica Marcos Fuhr, diretor do Sinpro/RS.

A Assembleia de Credores já havia sido suspensa em julho para a contratação da consultoria externa encarregada de controlar e supervisionar o fluxo de caixa e a elaboração do PRJ.

Passivo trabalhista

Com um passivo trabalhista de mais de R$ 500 milhões e dívidas tributárias (entre outras) de cerca de R$ 5,8 bilhões, em 6 de maio de 2019, a Aelbra ingressou com um pedido de Recuperação Judicial na 4ª Vara Cível de Canoas (RS). O pedido foi negado em primeira instância. A Aelbra recorreu ao Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) e obteve o deferimento da RJ em dezembro.

Comentários

Siga-nos