MOVIMENTO

Juízes para a Democracia apoiam a Greve Geral

A proposta de reforma acabará com o sistema solidário de seguridade social, atingindo a população economicamente mais vulnerável, afirmam
Da redação / Publicado em 12 de junho de 2019

A Associação Juízes para a Democracia (AJD) publicou nesta terça-feira, 11 de junho, nota pública em apoio à Greve Geral de 14 de junho, convocada pela centrais sindicais contra a reforma da Previdência proposta pelo governo Bolsonaro. A entidade foi criada em 1.991 e tem entre suas funções promover a defesa dos princípios de uma democracia pluralista.

Os juízes afirmam que a proposta de reforma vai “pôr fim ao sistema solidário de seguridade social, atingindo a população economicamente mais vulnerável”. O texto da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 06/19) transforma o atual sistema de repartição dos benefícios previdenciários, que passa a ser por capitalização, modalidade em que cada trabalhador deve custear sua própria aposentadoria, desonerando o Estado e o empregador do pagamento das suas atuais contrapartidas. “A consequência será a perda de arrecadação e a redução drástica do valor dos benefícios previdenciários no futuro”, afirmam na  nota.

A AJD defende uma previdência social humana, justa, solidária e que não viole os direitos legítimos de trabalhadoras e trabalhadores do campo e da cidade, mulheres, negros, idosos, crianças e pessoas com deficiência. “A greve (…) é forma legítima de demonstrar que não podemos compactuar com os retrocessos de uma alteração constitucional antidemocrática, cujos prejuízos serão irreversíveis”, explica o texto.

Acesse a íntegra da nota pública.

Comentários

Siga-nos