Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 108 | Ano 11 | Nov 2006
ENSINO PRIVADO
DEBATE

Educação Profissional é o tema de encerramento, dia 11, do Ciclo de Discussões – O Ensino Privado em Debate, promovido pelo Sinpro/RS. A programação começou em agosto, tendo sido abordados temas como EaD, especialistas, violência, reformas curriculares na Educação Superior e contratualidade docente. O objetivo é oportunizar aos professores a abordagem e reflexão sobre a realidade dos diferentes níveis do ensino privado e subsidiar as negociações com vistasà Convenção Coletiva 2007.

O Ensino Fundamental de 9 anos, com ingresso na 1ª série aos 6 anos, foi abordado no dia 21 de outubro pela professora da Faculdade de Educação da Ufrgs e Doutora em Ciências Sociais Aplicadas à Educação Maria Carmem Barbosa. Ao destacar que a ampliação garante o acesso a uma escolaridade obrigatória mais ampla e promove a inclusão, criticou a forma apressada com que o sistema está sendo implantado. “Antecipamos a prática sem ter discutido o projeto.” Ela destacou que a transição deverá levar em conta as especificidades da Educação Infantil. “A atenção já é um problema social. Há um uso muito grande de drogas para as crianças se acalmarem, como é o caso da Ritalina. Algumas escolas chegam a ter 15% das crianças medicadas.” Para a painelista, o choque entre duas culturas de escola pode ser positivo. “O momento histórico oferece a possibilidade de se criar uma nova organização do trabalho pedagógico. A escola é uma invenção social e cultural, e ela pode ser reinventada”, apontou.

No dia 7 de outubro, o tema em debate foi ‘Educação Infantil: regulamentação, mercado, contratualidade do professor e propostas pedagógicas’. A painelista Valéria Carvalho de Leonço, professora da Fapa e da PUCRS; orientadora educacional, com especialização em Psicologia Escolar, Psicopedagogia e Educação Psicomotora; mestre em Educação pela Ufrgs, tratou do tema ‘O universo infantil e as novas aprendizagens’. Seu painel abordou as relações educativas, que incluem a função indissociável do cuidar/educar no que se refere à alimentação, à saúde, à higiene, à proteção e ao acesso ao conhecimento sistematizado nas propostas pedagógicas das instituições de Educação Infantil.

Em 28 de outubro foi o momento de analisar os vários pareceres do Conselho Nacional de Educação emitidos recentemente que têm tratado do encurtamento dos cursos de graduação no Brasil. A painelista Maria Beatriz Luce, professora da Faculdade de Educação da Ufrgs e membro do Conselho Nacional de Educação falou sobre o tema ‘As reformulações curriculares na Educação Superior e a contratualidade dos professores’, discorrendo a respeito da dinâmica do mundo acadêmico com a multiplicação das ofertas de cursos de graduação e pós-graduação. Ela destacou que “para além da questão acadêmica, esta nova realidade tem objetivas repercussões no emprego e na empregabilidade dos professores da Educação Superior”.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS