Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 128 | Ano 13 | Out 2008
LUIS FERNANDO VERISSIMO

Cartum num Herald Tribune recente: Dick Cheney tranqüiliza Sarah Palin. Se ela chegar a vice-presidente dos Estados Unidos, não precisará se preocupar com deixar sua família sem mãe. A Halliburton fará o trabalho de mãe por ela.

Exegese do cartum: Dick Cheney é vice-presidente dos Estados Unidos mas, dizem muitos, superior hierárquico do Bush. Sarah Palin, companheira de John McCain na chapa republicana para as próximas eleições presidenciais, tem uma família grande e complicada que inclui uma filha prestes a ser mãe solteira e um filho com síndrome de Down. Cheney foi executivo da Halliburton e ainda mantém ligação com a superempresa, que ganhou boa parte dos contratos sem licitação para reconstruir o Iraque depois da invasão americana. A Halliburton é apenas um exemplo das companhias americanas – como a Blackwater, de soldados de aluguel – que lucram com a guerra sem fim no Iraque e que conquistaram o privilégio por influência política. No caso da Halliburton, influência óbvia do Cheney. Cartum bom é o que diz muitas coisas com uma estocada só. Ou uma estocada em muitos alvos.

Mas não haveria garantia de sucesso se a Halliburton assumisse, sem licitação, as funções de mãe da família Palin. O seu trabalho no Iraque não recomenda. Devido a, entre outras coisas, muita corrupção, a reconstrução lá está atrasada. Algumas áreas do país ainda não têm eletricidade. Li que uma das poucas obras que andam é a da embaixada americana em Bagdá. Vai ser a maior embaixada americana do mundo.

Sarah Palin é uma mulher interessante e a celebridade do momento nos Estados Unidos. Sua escolha energizou a campanha de McCain, que agora supera Obama em algumas pesquisas de intenção de voto. Foi um claro golpe oportunista para atrair o voto das despeitadas eleitoras da Hillary Clinton, mas principalmente um agrado ao lado mais conservador do partido republicano, já que Palin está à direita de McCain em tudo. Se McCain se eleger e tiver um troço, o que é previsível, já que tomará posse como um dos presidentes mais velhos da história do país e tem problemas de saúde, os Estados Unidos terão na presidência a direita mais direita desde… Bom, desde Bush.

Injustiça dizer que a intervenção do governo para salvar instituições financeiras prova que as leis do mercado não funcionam. A primeira lei do mercado é: quando em dificuldade, peça ajuda do governo.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS