POLÍTICA

Luiz Fux colaborou com esquema da Lava Jato

Diálogo vazado entre Dallagnol e procuradores envolve ministro do STF em conspirações da operação liderada por Moro
Por Marcelo Menna Barreto / Publicado em 13 de junho de 2019
Ministro do STF censurou entrevista de Lula à Folha de São Paulo antes das eleições presidenciais

Foto: STF/ Divulgação

Ministro do STF censurou entrevista de Lula à Folha de São Paulo antes das eleições presidenciais

Foto: STF/ Divulgação

Convidado do programa O É da Coisa, do jornalista Reinaldo Azevedo na BandNews FM, o editor-executivo do The Intercept Brasil, Leandro Demori, revelou com exclusividade nova conversa que foi repassada ao site de jornalismo investigativo. Desta vez, um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, é citado pela primeira vez. Ao divulgar no seu programa o conteúdo da conversa entre Deltan e demais procuradores da operação Lava Jato depois repassada ao ex-juiz Sergio Moro, Azevedo afirmou: “Fux, aquele que impediu uma entrevista de Lula, rasgando a Constituição”.

Segundo a nova apuração do The Intercept, lida por Azevedo, em 22 de abril de 2016 Deltan Dallagnol relatou uma conversa que teve com o ministro Fux em que frisa: “Reservado, é claro”. Dallagnol comemora, afirmando que “os sinais” de Fux “foram ótimos” e que o ministro teria lhe dito que a operação podia contar com ele para o que precisasse. “Só faltou, como bom carioca, chamar-me pra ir à casa dele, rs”, brincou Dallagnol, que segundo The Intercept, compartilhou a conversa com procuradores e com Moro, que respondeu “Excelente” e, em inglês, completou: “In Fux we trust” (em Fux nós confiamos).

Informações foram antecipadas pelo editor do The Inrtercept, Leandro Demori (D) em entrevista a Azevedo, da Band

Foto: Reprodução/ Rede Bandeirantes

Informações foram antecipadas pelo editor do The Inrtercept, Leandro Demori (D) em entrevista a Azevedo, da Band

Foto: Reprodução/ Rede Bandeirantes

Em setembro de 2018, o ministro atendeu a um pedido do partido Novo e suspendeu decisão de Ricardo Lewandowski, que havia autorizado a jornalista Mônica Bergamo a entrevistar Lula na prisão. Esse foi um dos temas tratados por The Intercept, que registrou em sua primeira matéria o pânico e a indignação de procuradores de Curitiba que chegaram a trocar ideias e estratégias para impedir que a entrevista pudesse influenciar na eleição presidencial passada. Na ocasião, outra polêmica: Fux deu a sentença em um pedido encaminhado para apreciação do presidente da corte, Dias Toffoli.

Confira o trecho do diálogo entre Dallagnol e procuradores que depois foi repassado a Moro:

Mensagem de 22 de abril de 2016

13:04:13 Deltan – Caros, conversei com o FUX mais uma vez, hoje

13:04:13 Deltan – Reservado, é claro: O Min Fux disse quase espontaneamente que Teori fez queda de braço com Moro e viu que se queimou, e que o tom da resposta do Moro depois foi ótimo. Disse para contarmos com ele para o que precisarmos, mais uma vez. Só faltou, como bom carioca, chamar-me pra ir à casa dele rs. Mas os sinais foram ótimos. Falei da importância de nos protegermos como instituições

13:04:13 Deltan – Em especial no novo governo

13:06:55 Moro – Excelente. In Fux we trust

13:13:48 Deltan – Kkk

Comentários

Siga-nos