POLÍTICA

Áudio de Bolsonaro que pede desbloqueio de rodovias cria confusão entre caminhoneiros

Pelo segundo dia consecutivo, seguidores do presidente promovem concentrações em rodovias e acampam em Brasília, com ameaças a ministros do STF
Por Marcelo Menna Barreto / Publicado em 9 de setembro de 2021

Foto: Twitter/ Reprodução

“O senhor tem nos convocado desde o início do ano, presidente”, reclama Marcos Gomes, o Zé Trovão, foragido no México

Foto: Twitter/ Reprodução

Tanta fake news disseminada por bolsonaristas desde antes da eleição e durante o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) acabou prejudicando o próprio presidente. Um áudio divulgado por Bolsonaro por WhatsApp, pedindo que caminhoneiros que estão bloqueando rodovias no país em seu apoio gerou confusão e teses conspiratórias entre os seguidores. Para uns, seria uma mensagem falsa “da Rede Globo” para “desmobilizar” o movimento. Na mensagem, Bolsonaro afirma que o movimento dos caminhoneiros “atrapalha a economia” e “prejudica todo mundo, em especial, os mais pobres” e pede que eles liberem as estradas.

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Ministro da Infraestrutura foi “convocado” por Bolsonaro para atestar veracidade da mensagem do presidente

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Pelo segundo dia consecutivo, caminhoneiros autodeclarados apoiadores de Bolsonaro promovem manifestações em rodovias e estão acampados em Brasília. O movimento vem reproduzindo nas redes sociais os ataques do presidente aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que chegaram ao auge no 7 de setembro, e ameaçam invadir o prédio do Tribunal. No início da tarde, havia concentrações de caminhoneiros com revistas a veículos de cargas em rodovias de 13 estados, sem interdições do trânsito, de acordo com o Ministério da Infraestrutura e da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Foto: Pablo Valadares/Agência Câmara

Otoni de Paula, outro investigado por ofensas contra ministro do STF, ameaçou caminhoneiros com Forças Armadas

Foto: Pablo Valadares/Agência Câmara

Diante do impasse criado pela mensagem de Bolsonaro que começou a tomar conta da rede social, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, gravou um vídeo para circular no WhatsApp também. Na gravação, Freitas “garante” que a mensagem de Bolsonaro é verdadeira. Em Brasília, para dispersar um acampamento, um deputado bolsonarista afirmou que o presidente deu a palavra de que agirá e diz que as Forças Armadas “são mais fortes que o povo brasileiro”.

O ministro Freitas, candidato de Bolsonaro ao governo de São Paulo nas próximas eleições, repetiu o apelo. Disse que a paralisação irá prejudicar a economia e os mais “vulneráveis”.

Além de gravar o áudio, Bolsonaro enviou o deputado Otoni de Paula (PSC-RJ) para tentar convencer manifestantes a saírem de Brasília e deliberou que, a partir dos atos, ele é quem agiria no momento certo. Um vídeo que circula nas redes sociais chega a mostrar momentos de hostilidades contra o parlamentar que está sob denúncia por fazer ameaças ao ministro do STF, Alexandre Moraes.

De Paula seguiu a linha de ameaças de Bolsonaro para tentar demover os manifestantes. “O que que é mais forte? O povo brasileiro ou as Forças Armadas que estão sob o comando do presidente? Claro que as Forças Armadas”, concluiu.

Zé Trovão

Também denunciado e alvo de um pedido de prisão preventiva expedido por Moraes, o autointitulado líder dos caminhoneiros, o youtuber de boleia Marcos Antônio Pereira Gomes, o Zé Trovão, aumentou a confusão no início da manhã desta quinta-feira, 9.

Foragido no México, apesar de ser procurado pela PF, o youtuber publicou um vídeo no qual coloca em dúvida o áudio de Bolsonaro e pede uma ação do presidente contra o que chama de opressão que estaria sendo feita contra os caminhoneiros em Brasília.

Imagem: Reprodução

Provando do próprio veneno: caminhoneiros acham que mensagem de Bolsonaro seria “fake da Globo”

Imagem: Reprodução

“Presidente, pelo amor de Deus estão atacando o nosso povo aí em Brasília, presidente. A polícia está usando a força e o senhor é a nossa última salvação, presidente. Nós vamos trancar todo o Brasil porque nós estamos do lado do senhor, presidente. Pelo amor de Deus, presidente! Não deixa o teu povo ser oprimido. Faz o que tem que ser feito porque o senhor tem o povo do seu lado. Eu tô do lado do senhor e o povo brasileiro está do lado do senhor. Pelo amor de Deus, presidente!”, apelou. Em outro trecho, lembra que “o senhor está nos convocando desde o início do ano” e cita as datas em que Bolsonaro teria incitado os caminhoneiros contra o STF.

É exatamente em um dos grupos de WhatsApp que leva o nome de Zé Trovão que surgiu uma das teorias conspiratórias que o governo tenta combater. Para os caminhoneiros, o áudio de Bolsonaro seria uma falsificação da Globo para desmobilizar os caminhoneiros.

Nesta quinta-feira, em novo vídeo supostamente gravado de um hotel no México, Gomes afirma que não cometeu “nenhum crime”, diz que está voltando para o Brasil e que será preso “por crime de opinião”. Ele cobra um posicionamento do presidente Bolsonaro para decidir sobre a suspensão das ações nas rodovias.

Comentários