Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 210 | Ano 21 | DEZ 2016
ENSINO PRIVADO

Ensino privado aderiu ao dia de paralisação nacional

A paralisação nacional do dia 11 de novembro, convocada pelas centrais sindicais, contou com a adesão dos professores do ensino privado do Rio Grande do Sul. Em todo o estado, atos marcaram o descontentamento com as medidas de ajuste do governo, em especial a PEC 241/55, que deve afetar o acesso a serviços de saúde e educação. “A mobilização do dia 11 foi, sem dúvidas, um marco para os professores do ensino privado gaúcho. Na verdade, nunca os professores tiveram tantos motivos para se mobilizar e participar da luta geral dos trabalhadores“, avalia Marcos Fuhr, diretor do Sinpro/RS.

Em Porto Alegre, ao menos sete instituições privadas (Anchieta, Bom Conselho, João XXIII, Projeto /duas escolas, Monteiro Lobato, Santo Inácio e Instituto São Francisco/quatro escolas aderiram à paralisação convocada pelas centrais. A decisão foi tomada em Assembleia Geral no dia 5 de novembro, em Porto Alegre, e em assembleias e reuniões por local de trabalho.

Além da PEC 241/55, os professores também protestaram contra a Medida Provisória, que reforma o ensino médio, projetos de lei que tentam impor restrições à liberdade de cátedra dos docentes, a terceirização da atividade-fim e a reforma da Previdência.

Professores de universidades privadas pararam em Santo Ângelo, Canoas, Pelotas e Cruz Alta. Em Pelotas, técnicos, professores e estudantes da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) já estavam em greve. O Instituto Federal Sul-Riograndense (IFSul) e o campus Visconde da Graça (CAVG) não tiveram aulas. Também os professores da Universidade Católica de Pelotas (UCPel) aderiram à paralisação. Em Uruguaiana, na Fronteira Oeste do estado, houve adesões à paralisação, bem como em Rio Grande, na zona sul. Em Cruz Alta, professores e funcionários da Unicruz realizaram rodas de conversa na praça da matriz. Teve aula pública também em Santa Cruz e em Santo Ângelo, na Universidade Regional Integrada (URI). Na Fundação Liberato, de Novo Hamburgo, aconteceu a mobilização com o apoio dos estudantes.

 

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS