Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
29/01/2019
JUSTIÇA

A instituição de Edir Macedo contestou a competência do Ministério Público Federal em cobrar a dívida, alegando ser da Receita Federal essa jurisprudência
Da Redação

Foto: Reprodução YouTube

Líder da Universal, Edir Macedo, tem mais de 1,8 milhão de fiéis no país

Foto: Reprodução YouTube

O Ministério Público Federal (MPF) foi autorizado pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) a cobrar da Igreja Universal do Reino de Deus o valor de R$ 98,3 milhões em impostos. A decisão saiu nesta segunda-feira, 28 de janeiro.

No recurso, o MPF defende que a isenção de impostos dos templos só é referente às finalidades essenciais da atividade religiosa, não sendo possível excluir da tributação os valores vindos de outras atividades, como compras de bens e imóveis sem qualquer vínculo com a igreja. A Universal contestou a competência da Procuradoria em cobrar a dívida, alegando ser da Receita Federal essa jurisprudência. Ao analisar o caso, o relator, juiz Marcelo Albernaz, concluiu que o MPF tem razão em seus argumentos e determinou o retorno dos autos para a primeira instância para que seja proferida nova decisão.

A IGREJA – A igreja Universal do Reino de Deus (IURD) foi fundada por Edir Macedo na década de 1970. Liderada por ele até hoje, a instituição, segundo dados do IBGE, tem mais de 6 mil templos no Brasil e aproximadamente 1,8 milhão de fiéis no país. A Universal ainda possui uma rede rádio, um jornal e uma revista, além do controle da Rede Record de Televisão. Em 2014, a IURD inaugurou o Templo de Salomão, obra suntosa no bairro do Brás, em São Paulo. A construção do edifício foi investigada pela Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo e pela Receita Federal.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS