POLÍTICA

Software de boliviano também foi usado para apoiar Bolsonaro nas eleições

O engenheiro Nicolás Hinojosa calcula que cerca de 30 mil contas de WhatsApp tenham usado sua plataforma para apoiar o então candidato à presidência do Brasil
Por Marcelo Menna Barreto / Publicado em 19 de junho de 2019

Foto: Reprodução YouTube

Engenheiro boliviano Nicolás Hinojosa fez a denúncia no ano passado

Foto: Reprodução YouTube

Um desabafo feito em 31 de outubro de 2018 no Youtube vem à luz no Brasil agora, um dia após a Folha de São Paulo revelar que o empresário espanhol Luis Novoa teve suas linhas suspensas pelo WhatsApp porque empresas brasileiras estavam utilizando seu software de disparo de mensagens em benefício da campanha de Jair Bolsonaro à presidência. O engenheiro boliviano Nicolás Hinojosa disse na ocasião: “Lamentavelmente, na semana passada, bloquearam meu número de WhatsApp por causa do que aconteceu no Brasil. As pessoas que fizeram campanha para o candidato Bolsonaro usaram meu software, mas nem sequer compraram as licenças, usaram a versão demo”.

De acordo com nova reportagem da Folha de São Paulo, o boliviano calcula que cerca de 30 mil contas de WhatsApp tenham usado sua plataforma para apoiar a campanha de Bolsonaro. Mesmo acreditando na possibilidade de que outros candidatos utilizaram seu software, Hinojosa afirma que a certeza que tem é de ter visto o uso maciço da ferramenta pró-Bolsonaro. “Todas as mensagens que vi eram campanha para Bolsonaro. Textos e imagens em português”, afirmou o engenheiro que contabilizou 360 usuários enviando mensagens de apoio ao agora presidente do Brasil.

No Brasil, a contratação de disparos por pessoas físicas, sem declaração a justiça eleitoral, é proibida por lei. No caso do engenheiro boliviano, o WhatsApp confirmou ter bloqueado suas contas por mau uso.

Comentários