Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 021 | Ano 3 |Mai 1998
ENSINO PRIVADO
ENSINO PRIVADO

Samba no coração

Da Redação

No último dia 24, além dos costumeiros visitantes do parque da Redenção de Porto Alegre, mais de 15 mil pessoas se aglomeraram junto ao Monumento ao Expedicionário para ouvir a fina flor do samba. Convidado a se apresentar nas comemorações dos 60 anos Sinpro/RS, pela direção da entidade, o cantor e compositor Paulinho da Viola saiu com uma certeza, o samba bate no coração dos gaúchos. O príncipe do samba acabou o show com um largo sorriso no rosto. Estava emocionado pela receptividade que encontrou. O samba que arrancava de seu cavaquinho foi conversado, cantado e dançado a céu aberto por crianças, jovens e velhos.

No repertório de 21 músicas, Paulinho da Viola combinou canções do disco Bebadosamba, com clássicos como Nervos de Aço. O músico estava com integrantes da banda que o acompanha há vinte anos: seu pai César Faria (Violão), Dininho (baixo), Celsinho (pandeiro), Cabelinho e Hércules (ritmo). Para dividir os vocais em Nervos de Aço, o bamba chamou o eterno intérprete e companheiro de Lupicínio Rodrigues, Rubens Santos. Marco no show. O público delirou com a presença do cariúcho, nascido no Rio de Janeiro, mas gaúcho há várias décadas. Rubens Santos chorou.

As vozes do público se uniram a Paulinho da Viola em Dança da Solidão e Pecado Capital. Para o encerramento do show, Paulinho da Viola escolheu Foi um rio que passou em minha vida e Coração Leviano. Já era quase uma hora da tarde quando o músico fez o aclamado bis. Neste momento, o cronista e gremista doente Paulo Santana – apresentador do show – não se conteve e, ao lado de Paulinho, cantou Coisas do mundo, minha nega.

A Câmara de Vereadores de Porto Alegre vai conceder o prêmio artístico Lupicínio Rodrigues para o cantor e compositor Paulinho da Viola. A iniciativa do vereador Gerson Almeida (PT) é homenagear o artista pela sua contribuição à MPB.

interior – Mais de 1.200 pessoas, entre elas, 239 professores associados ao Sinpro/RS, assistiram ao show Hi-Fi, de Nei Lisboa, no dia 8 de maio, no Teatro Guarani em Pelotas. Primeira de uma série de apresentações no interior do estado, o espetáculo demarcou a receptividade do público com a iniciativa do sindicato em comemorar os seus 60 anos promovendo uma turnê de músicos por sete cidades: Nei Lisboa, com Hi-Fi em Pelotas, Rio Grande, Lajeado e Passo Fundo, e Nelson Coelho de Castro, Gelson Oliveira, Bebeto Alves e Totonho Villeroy com Juntos Acústico nas cidades de Santa Maria, Santa Cruz do Sul e São Leopoldo. Mais de 3 mil pessoas tiveram a oportunidade de assistir essa iniciativa cultural do Sindicato no interior do Estado. Entusiasmada, a platéia aplaudiu em pé.

“O maior sucesso”, afirma Irapuan Porto dos Santos, 36 anos, professor de Educação Física em Pelotas. “Iniciativas como esta são importantes porque demonstram um retorno do sindicato ao professor do interior, que colabora com a entidade mensalmente”, observa. “É uma forma de aproximar a categoria”. Para a professora Gelly Canilhas, 32, que também leciona Educação Física em Pelotas, atividades como esta aproxima os professores da comunidade em geral. “É muito importante este tipo de proposta”, assegura.
PÚBLICO

Paulinho da Viola
Porto Alegre 15.000

HI-FI
Pelotas 1.200
Rio Grande 500
Lajeado 324
Passo Fundo 300

Juntos Acústico
Santa Maria 300
Santa Cruz do Sul 200
São Leopoldo 300

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS