Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 149 | Ano 15 | Nov 2010
ENSINO PRIVADO
ESPECIAL

Instituições crescem com a economia

especial_1

Not available

Not available

Estudo inédito do Dieese/subseção FeteeSul revela que o ensino privado gaúcho acompanha os dados positivos da economia brasileira, com aumento da demanda e da oferta, retomando um cenário de crescimento. O vigor deste quadro pode ser atestado pelos investimentos das instituições de Educação Básica e Superior tanto na Região Metropolitana de Porto Alegre, como em várias regiões do estado.

O Extra Classe, de posse desse estudo, foi a campo para constatar in loco vários desses empreendimentos. Este especial traz o conjunto da economia brasileira e gaúcha; o desempenho do ensino privado; e os fortes investimentos das instituições de ensino que buscam se diferenciar no mercado para atender a crescente demanda de alunos. É neste cenário que professores e técnicos administrativos reivindicam aumento real de salários nas próximas negociações coletivas.

Economia cresce em todos os setores

O ritmo de crescimento da economia brasileira manteve-se acelerado em 2010, cenário que deve permanecer pelos próximos dois anos, impulsionado principalmente pela maior oferta de empregos e maiores salários. É o que demonstra o estudo realizado pela economista Ecléia Conforto, do Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos (Dieese)/Subseção da Federação dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino Privado do RS (Feteesul).

A economista analisou os principais dados da conjuntura econômica nacional e estadual – Produto Interno Bruto, investimentos, consumo das famílias, rendimentos – e os reflexos desse desenvolvimento sobre o setor de ensino privado no Rio Grande do Sul.

O país apresentou uma taxa de crescimento no PIB no primeiro trimestre de 2010 de 9%. Aumentou também o consumo das famílias, que hoje representa mais de 60% da demanda. Mais empregos, aumento do salário mínimo e do rendimento médio, mais políticas de transferência de renda e facilidade de crédito a longo prazo estão entre as causas.

A maior demanda por bens de consumo faz com que as empresas aumentem seus investimentos, contratem trabalhadores e ampliem a sua jornada de trabalho. Isso tem como efeito o aumento na massa de salário e um incremento no consumo.

“O Brasil já viveu momentos de aquecimento anteriormente, mas este se diferencia por estar se consolidando via crescimento da renda, justamente a variável econômica que mais interessa para o setor privado de ensino”, explica a economista.

Isso se deve, segundo Ecléia, à participação do setor industrial. No primeiro trimestre, a produção cresceu 18,1% sobre o mesmo período do ano passado, a maior expansão trimestral desde o início da pesquisa, em 1991. A indústria como um todo deverá crescer acima de 10% neste ano.

especial_2

Not available

Not available

A recuperação da indústria é fruto também da retomada dos investimentos no setor privado que, segundo estimativas do Ministério da Fazenda, já voltaram ao patamar de crescimento do período pré-crise e deverão expandir de 18% a 20% neste ano. Isso está relacionado diretamente à geração de empregos formais: indústria em crescimento gera empregos e estes viabilizam o consumo que fomenta a indústria. Em abril, foram gerados 305.068 postos de trabalho com carteira assinada, um recorde para o mês, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Já são 962.327 empregos formais em 2010, após quatro recordes sucessivos na geração de empregos.

A melhoria da situação no mercado de trabalho tem se refletido também nos números da PED-Metropolitana, realizada pelo Dieese. Em abril último a taxa estava em 13,3%, inferior à abril de 2009, quando situava-se em 15,1%. A previsão da taxa de desemprego para 2010 é chegar nos 12,5%, menor taxa desde os anos 80.

O comércio varejista apresentou visível aceleração no ritmo de crescimento das vendas. E o setor de serviços – saúde, educação, telecomunicações, financeiro, turismo, entre outros – vem há anos apresentando um bom desempenho, porque foi menos afetado pela crise.

Em relação ao comércio, em comparação com fevereiro de 2010, o volume de vendas e a receita nominal do varejo cresceram 1,6% e 0,9%, respectivamente, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio – PMC.

Os dados dos balanços das empresas de capital aberto, relativos ao primeiro trimestre de 2010, também mostram um cenário muito favorável.

Outro fator importante de estabilidade é o nível das reservas cambiais. O Brasil possui US$ 249,5 bilhões (19.05), cerca de US$ 45 bilhões a mais do que tinha antes da crise de 2008.

PIB do RS está acima da média nacional

No Rio Grande do Sul, os números da economia estão acima da média nacional. Conforme a Fundação de Economia e Estatística (FEE), o setor agropecuário cresceu no primeiro semestre 7,30%, a indústria (metalurgia, veículos, máquinas e calçados) 14,90% e serviços 9,70%. Segundo a economista do Dieese, a variável de crescimento de renda a partir desses fatores cria condições para aumentar a clientela e diminuir a inadimplência,o que certamente vai se refletir em todos os segmentos, inclusive na educação privada.

especial_3

Not available

Not available

A REGIÃO SUL FOI A ÚNICA QUE TEVE ACRÉSCIMO NO NÚMERO DE MATRÍCULAS NAS INSTITUIÇÕES PARTICULARES

Foto: Igor Sperotto

A REGIÃO SUL FOI A ÚNICA QUE TEVE ACRÉSCIMO NO NÚMERO DE MATRÍCULAS NAS INSTITUIÇÕES PARTICULARES

Foto: Igor Sperotto

Ensino privado gaúcho apresenta desempenho positivo

O desempenho do ensino privado gaúcho nos diferentes níveis acompanha os resultados positivos da economia brasileira e regional. Em 2009, o setor gerou 2.728 novos postos de trabalho, entre professores e técnico-administrativos, representando crescimento de 4,8% em relação a 2008. O quadro de professores chegou a 37 mil, um aumento de 5,5%.

Do total de matrículas, em 2009, 60,23% pertencem ao Ensino Fundamental, 19,8% ao Ensino Médio e 19,97% à Educação Infantil (pré-escola). A região Sul do Brasil é a única que teve acréscimo no número de matrículas nas instituições privadas.

“O cenário é de retomada do crescimento. Há uma nova clientela chegando às carteiras escolares do setor privado, porque sabe que esse segmento da educação tem qualidade superior ao público”, afirma a economista do Dieese, Ecléia Conforto. Com o aumento do poder aquisitivo da classe C, essa parcela começou a ocupar as escolas que cobram mensalidades bem mais baixas.

A Educação Básica vive período de estabilidade. A demanda deverá aumentar com o crescimento na renda. O Ensino Fundamental apresentou um crescimento de 2,98% em 2008 e de 0,86% em 2009.

Já as IES cresceram 124% no RS, entre 2000 e 2006. Hoje, o estado conta com 89 IES, sendo 25 na capital e 64 no interior. O RS é responsável por 4,4% das IES privadas no Brasil.

O número de matrículas no Ensino Superior privado cresceu entre os anos de 2000 e 2008 cerca de 92,3%. Em 2000, havia 56.100 ingressos nas IES privadas, em 2008 esse número passou a 107.933.

A pesquisa do Dieese acompanha a evolução do emprego nas instituições de ensino privado nos diferentes níveis no RS e utiliza como fonte os dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

87% das categorias obtiveram aumento real

O crescimento contínuo no emprego e na renda para todas as classes sociais, entre outros fatores, refletiu no aumento das matrículas em todos os segmentos do ensino privado e na redução nos indicadores de inadimplência. Aumentou também a contração de créditos no Ensino Superior, um indicador tão relevante quanto o número de matrículas.

Conforme o Dieese, cerca de 97% das 290 negociações salariais registradas no primeiro semestre de 2010 conquistaram reajustes salariais iguais ou acima da inflação medida pelo INPC-IBGE, acumulada desde o último reajuste. A imensa maioria, 87%, obteve aumento real.

O desempenho é melhor que o obtido nos anos de 2008 e 2009, quando o percentual de negociações com reajustes iguais ou superiores ao índice foi, respectivamente, 87% e 93%.

Entretanto, os trabalhadores do ensino privado estão, há uma década, sem receber aumento real, apesar do percentual de reajuste das anuidades das escolas, nesse período, ter sido bem superior à inflação. Segundo o Dieese, nos últimos 14 anos as anuidades no ensino privado acumularam em média um reajuste de 32% acima da inflação. No mesmo período, as mensalidades tiveram um reajuste acumulado em torno de 27% acima dos reajustes dos salários dos professores.

A pesquisa também demonstra que o crescimento dos postos de trabalho em 2009 ocorreu nas menores faixas de salário, com predominância nas faixas de 1,0 a 1,5 salários mínimos e 2 a 4 salários mínimos. Em contrapartida, ocorreu eliminação de postos de trabalho nas faixas acima de 4 salários mínimos.

Investimentos indicam cenário favorável

Os investimentos contínuos do ensino privado gaúcho, tanto na Educação Básica como superior, em obras, patrimônio e na criação de novos cursos, são reflexos do desempenho positivo da economia brasileira, cujas previsões para os próximos anos são otimistas.

Não faltam exemplos da pujança do setor. Ao mesmo tempo em que comemora novos empreendimentos para o campus de São Leopoldo, a Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) anuncia a oferta de novos cursos na capital, onde há uma oferta expressiva de Educação Superior. A Rede Marista, com a PUCRS e o Colégio Rosário não para de crescer. Esta realidade não é exclusiva da Região Metropolitana de Porto Alegre. Os investimentos nos municípios do interior também são visíveis em todos os níveis de ensino. Para citar alguns exemplos, a Rede Adventista de Educação tem investimentos por todo o estado, e as escolas protestantes, como o Pastor Dohms, a cada ano estão presentes em mais municípios. A Arquidiocese de Porto Alegre adquiriu só este ano duas escolas na capital, onde já administra outras cinco em diferentes regiões.

Em Santa Maria, são visíveis os investimentos em patrimônio no Centro Universitário Franciscano – Unifra, e nos colégios Nossa Senhora de Fátima e Marista Santa Maria. Em Pelotas, a Universidade Católica – UCPEL comprou recentemente da Igreja Anglicana o prédio Santa Margarida. A rede de ensino Anhanguera, que está presente em vários estados e também oferece cursos em Caxias do Sul, Passo Fundo e Rio Grande, está expandindo seu patrimônio. Em Camaquã, o Colégio Contemporâneo tem prédios novos. Em Passo Fundo, a Faculdade Meridional – Imed está construindo um prédio novo, e o Colégio Marista Conceição está reformando seu portal de entrada, com estacionamento e instalação de moderno sistema de segurança.

Unisinos anuncia novo campus

Prédio será construído em área do Colégio Anchieta, na Capital

Foto: Igor Sperotto

Prédio será construído em área do Colégio Anchieta, na Capital

Foto: Igor Sperotto

A Unisinos anunciou no final de outubro a instalação de um campus em Porto Alegre, na área do Colégio Anchieta, onde vai oferecer em um primeiro momento nove cursos universitários, num investimento de 60 milhões, nos próximos cinco anos, e a previsão de atender 12 mil alunos até 2020.

No edifício que será construído com sete andares e 70 salas de aula, 500 colaboradores, entre professores, pesquisadores e técnicos administrativos estarão atuando até 2020.

Para 2011, está prevista a instalação de uma nova biblioteca com mais de 20 mil itens de acervo, dois laboratórios temáticos e novas salas de informática já estarão funcionando em 2011.

“Essa é uma forma de aproximar a Universidade de seu público, e proporcionar a Porto Alegre um ensino de qualidade, que não só agrega cursos de graduação, mas pesquisas de pós-graduação”, disse o pró-reitor acadêmico João Zani.

A Universidade possui hoje cerca de 27 mil alunos.

Parque tecnológico

O Parque Tecnológico São Leopoldo Tecnosinos recebeu no mês passado licenças ambientais para a construção de três novos empreendimentos: o Instituto de Pesquisa em Alimentos Funcionais e Nutracêutica (Nutritech), o Centro de Automação Industrial e Elétrica e a segunda unidade do Complexo Tecnológico Unisinos Unitec. Com a obtenção das LPs, o Tecnosinos poderá encaminhar os projetos do Centro de Automação e do Unitec2 para a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e consolidar o projeto do Nutritech, que já teve confirmada pela financiadora verba de quase R$ 11 milhões.

Cresce infraestrutura do Santa Inês

O sexagenário Colégio Santa Inês, tradicional instituição de atendimento às classes média e alta de Porto Alegre, começou a ampliar seu patrimônio no final da década de 80 e a partir de então não parou mais de crescer. Hoje, a escola ocupa praticamente um quarteirão do bairro Petrópolis, com 1.052 alunos e 76 professores, da Educação Infantil ao Ensino Médio.

Entre suas novas instalações, destaca-se um ginásio destinado à prática de esportes, nas proximidades da escola, um prédio que serve como estacionamento e outro, de oito andares, que atualmente é alugado para o Instituto Brasileiro de Gestão de Negócios – IBGEN, onde funcionam seis cursos de graduação, além de pós-graduação, projetos de pesquisa e assessoria junto a empresas. O diretor administrativo do Santa Inês, Julio Troli, não revela os projetos da escola, mas ressalta que a direção está sempre atenta às inovações e tecnologias.

Maristas: expansão e melhorias

TECNOPUC ESTÁ SENDO INSTALADO EM 5,4 HECTARES, EM ANTIGO TERRENO DO EXÉRCITO

Foto: Igor Sperotto

TECNOPUC ESTÁ SENDO INSTALADO EM 5,4 HECTARES, EM ANTIGO TERRENO DO EXÉRCITO

Foto: Igor Sperotto

A centenária Rede Marista de Ensino possui 21 escolas próprias e duas conveniadas no estado, que oferecem Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio. Suas unidades estão instaladas em 13 municípios gaúchos, incluindo a capital com seis escolas, e uma em Brasília. Algumas escolas também possuem modalidades como Turno Integral, Educação de Jovens e Adultos (EJA), Curso Normal e Curso Técnico de Enfermagem.

Ao ampliar a Rede, os Maristas têm mantido seu perfil de atendimento às classes média e alta, com investimentos permanentes em suas instituições de Educação Básica e Ensino Superior, tanto na questão estrutural como na criação de novos cursos. PUCRS – Com 55 cursos de graduação, 60 alternativas de especialização, 17 cursos de doutorado e 24 de mestrado, mais de 30 mil alunos nos diversos níveis, 1,8mil professores e 1,6 mil funcionários técnico-administrativos. Essa é a poderosa universidade dos Maristas em Porto Alegre, a PUC/RS. O complexo universitário, distribuído em 55 hectares, não para de crescer. Entre os destaques estão o prédio 15, que foi totalmente reestruturado e possui um setor exclusivo de atendimento ao aluno, um estacionamento de quatro andares, a imponente Biblioteca Central, além do Parque Científico e Tecnológico – Tecnopuc, instalado em 5,4 hectares, em antigo terreno do Exército, uma referência importante nas relações entre Universidade e empresas.

A Universidade dispõe ainda de mais de 200 laboratórios para suas atividades de docência e de pesquisa. Conta com o Hospital São Lucas, um dos maiores hospitais universitários do país, com 544 leitos, cerca de 2,4 mil funcionários e 650 médicos; o Museu de Ciências e Tecnologia, quinto maior museu interativo do mundo; um moderno Prédio Poliesportivo e o Estádio Universitário, teatro, e um Centro de Eventos.

Novo prédio do Rosário

Prédio será construído em área do Colégio Anchieta, na Capital

Foto: Igor Sperotto

Prédio será construído em área do Colégio Anchieta, na Capital

Foto: Igor Sperotto

Tradicional escola Marista da capital gaúcha, o Colégio Rosário possui 2,3 mil alunos, da Educação Infantil ao Ensino Médio, e 250 professores e funcionários. Destaque para o imponente prédio na rua Irmão José Otão, o grande projeto de ampliação da instituição, inaugurado no início deste ano, após quatro anos de obras.

Para facilitar o acesso da comunidade escolar, foi construída uma passarela para ligá-lo ao prédio central da avenida Independência.

Em seus dez pavimentos, que totalizam 21,7 mil m², o complexo conta com espaços exclusivos para Educação Infantil e Turno Integral, destinado aos alunos até a 5ª série do Ensino Fundamental que estudam no turno da tarde e passaram a desenvolver suas atividades nos novos espaços. Além disso, o prédio conta com amplos espaços de convivência, cantina, restaurante, local para confraternizações, pátio coberto, pátio ao ar livre, salas de música, expressão, centro de idiomas, entre outros serviços. Além da Educação Infantil, os demais níveis de ensino também aproveitarão os diversos espaços, como laboratórios de informática, capela, auditórios, além de salas temáticas para múltiplas atividades, como grupos de estudos e redação. O prédio ainda possui três subsolos reservados a estacionamento 24h.

Sobre os planos para 2011, a assessoria de comunicação social informa que o colégio prefere não se manifestar sobre ações estratégicas da escola.

Adventistas focam nova classe média

NOVA FACHADA: ESCOLA DA REDE, EM VIAMÃO, É UMA DAS 31 NO ESTADO

Foto: Igor Sperotto

NOVA FACHADA: ESCOLA DA REDE, EM VIAMÃO, É UMA DAS 31 NO ESTADO

Foto: Igor Sperotto

A Rede Adventista de Educação possui 31 unidades escolares nos três níveis no Rio Grande do Sul. Juntas, somam 11.720 alunos. A rede tem se notabilizado por novos investimentos nas regiões periféricas da capital, Região Metropolitana e interior do estado, onde cresce a demanda pelo ensino privado, principalmente entre as classes C e D.

Entre os projetos de ampliação, destacam-se as unidades de Viamão, Rio Grande e na capital (Partenon). O Colégio Adventista de Viamão comemorou em outubro passado 20 anos com a reinauguração da nova fachada e a instalação da Escola Aberta. Pretende ampliar o número de vagas para 2011, dos atuais 477 para 504 alunos no Ensino Médio.

A Escola Partenon, em Porto Alegre, que oferece Ensino Fundamental, está sendo ampliada com a construção de dois prédios para oferecer cem novas matrículas, que se somarão aos atuais 462 alunos e 15 professores.
Também na unidade adventista de Rio Grande, com 194 alunos dos primeiros níveis do Ensino Fundamental, serão oferecidas 40 vagas a mais com a previsão de chegar a 245 alunos.

São José inicia obras de megainvestimento

especial_9

Foto: Igor Sperotto

Foto: Igor Sperotto

Uma das mais importantes instituições de Educação Básica da região do Alto Uruguai, fundada em 1923 por irmãs franciscanas, o Colégio São José, de Erechim, iniciou em outubro as obras de um megainvestimento, orçado em R$ 8 milhões, que vai conciliar uma área poliesportiva e um centro de convivência, com lojas comerciais.

O diretor administrativo do colégio, Ueverton Manfredini, informou que não é de interesse da escola falar sobre os projetos de expansão ou modernização de suas instalações.

Mitra Diocesana: mais dois colégios

A REDE SÃO FRANCISCO POSSUI QUATRO colégios

Foto: Igor Sperotto

A REDE SÃO FRANCISCO POSSUI QUATRO colégios

Foto: Igor Sperotto

As sete escolas da Educação Básica pertencentes à Arquidiocese de Porto Alegre possuem, juntas, 3,7 mil alunos. São duas redes de ensino: Romano e São Francisco. A Rede São Francisco possui quatro colégios, com 1,7 mil alunos: Instituto de Educação São Francisco, no bairro Rubem Berta, São Francisco Santa Fé e São Francisco Zona Sul, no bairro Camaquã e São Francisco, em Cachoeirinha.

Já a Rede Romano possui três colégios, com dois mil alunos: Romano I (antigo Senhor Bom Jesus), no bairro Jardim Itu-Sabará; Romano II (ex-São Mateus), no bairro Jardim São Pedro; e Romano III (ex-Santa Marta), no bairro Azenha

A expectativa da diretora-geral da Rede Romano, Luciana Nunes Prates, é de que a Mitra Diocesana adquirisse mais oito colégios no estado. Dois foram comprados no ano passado: o Colégio Santa Marta, hoje Romano III, e a Escola São Vicente Mártir, hoje São Francisco Zona Sul.

Univates anuncia cursos e Parque Tecnológico

CENTRO UNIVERSITÁRIO INAUGURA NOVO PRÉDIO EM NOVEMBRO

Foto: Igor Sperotto

CENTRO UNIVERSITÁRIO INAUGURA NOVO PRÉDIO EM NOVEMBRO

Foto: Igor Sperotto

A Univates, de Lageado, inaugura neste mês de novembro o prédio 16, que já está com aulas nos cursos da Saúde. No primeiro andar, funcionará a Clínica Universitária Regional de Educação e Saúde, que vai facilitar a integração de alunos e professores com equipes de profissionais dos serviços de saúde da região.

Em breve, o centro universitário inicia a construção do Parque Tecnológico Tecnovates e de mais um prédio, que abrigará a área das engenharias.

Entre os novos cursos está o de Tecnologia em Design de Moda, que terá aproximadamente três anos de duração e aulas no turno da noite. O total de vagas em 2011 para todos os cursos de graduação é de 2,6mil, 405 a mais que no último vestibular. Também serão abertos novos cursos de pós-graduação e de extensão.

Atualmente, os campus de Lageado e Encantado oferecem 42 cursos de graduação, 3 sequenciais, 9 técnicos, 27 pós-graduação, além de 24 cursos de extensão. Possui 10.805 alunos e 384 professores.

Unifra inaugurou novo centro

NOVO CENTRO DE INTEGRAçÃO possui 60 salas

Foto: Igor Sperotto

NOVO CENTRO DE INTEGRAçÃO possui 60 salas

Foto: Igor Sperotto

Em Santa Maria, o Centro Universitário Franciscano (Unifra) inaugurou em outubro o Centro de Integração Conhecimento e Sociedade, destinado ao aprimoramento prático dos estudantes e atendimento à população. O imóvel, dos anos de 1930, teve sua área interna totalmente reestruturada e hoje possui 60 salas, que abrigam o Núcleo de Práticas Jurídicas (NPJ), a Defensoria Pública Estadual, Procon, Centro Interdisciplinar de Mediação (CIM), Agência de Turismo, Editora Unifra e, em breve, as empresas que farão parte da Incubadora Tecnológica da Unifra.

Entre as novidades para 2011 está o curso de Engenharia Biomédica, cujo conhecimento se converge entre a Física Médica, Biomatemática e Informática Médica. A instituição atualmente dispõe de 31 cursos de graduação, 12 de pós-graduação, 43 cursos de extensão e capacitação profissional e um técnico.

Investimentos em Passo Fundo

Mais dois prédios, 24 cursos e 420 vagas em 2011

Foto: Igor Sperotto

Mais dois prédios, 24 cursos e 420 vagas em 2011

Foto: Igor Sperotto

Prestes a completar seis anos de funcionamento, em dezembro, a Faculdade Meridional/Imed, de Passo Fundo, pretende abrir 420 vagas em seus cursos no próximo ano. Também serão lançados 24 cursos de pós-graduação, além dos 17 já existentes. Para isso, dois novos prédios com quatro andares e 4 mil metros cada um estão sendo construídos. O primeiro bloco será inaugurado em março de 2011 e contará com um Centro de Convivência (com espaços comerciais), 22 salas de aula, setor administrativo e direção. O segundo está previsto para março de 2012 e abrigará área administrativa, clínicas odontológicas, laboratórios de Odontologia e biblioteca. De acordo com o diretor-geral da Imed, Eduardo Capellari, a instituição vem constituindo parcerias com unidades conveniadas no sul do Brasil para expandir seus negócios e consolidar seu posicionamento na oferta de cursos focados à qualificação de profissionais para o mercado de trabalho.

Pastor Dohms amplia oferta de ensino

SEDE no BARRO HIGIENÓPOLIS, em PORTO ALEGRE

Foto: Divulgação

SEDE no BARRO HIGIENÓPOLIS, em PORTO ALEGRE

Foto: Divulgação

Tradicional colégio da classe média de Porto Alegre, o Centro de Ensino Médio Pastor Dohms, a partir de 2002 deu uma guinada em outras direções para ampliar sua rede de atendimento. Atualmente possui nove unidades educacionais em diferentes municípios gaúchos e em bairros da capital, em que predominam moradores das classes C e D.

Também no bairro Higienópolis funciona a Faculdade de Tecnologia Pastor Dohms, a TecnoDohms, que formou no segundo semestre deste ano a primeira turma de Tecnólogo em Gestão Comercial. Os outros cursos superiores profissionalizantes são Sistemas para Internet, Redes de Computadores, Logística Empresarial e Segurança Privada.

Neste ano, começou a funcionar a Unidade de Taquari nas instalações da antiga Escola Nossa Senhora da Conceição, oferecendo Educação Infantil e Ensino Fundamental. Para 2011, serão disponibilizados o Ensino Médio e alguns cursos técnicos profissionalizantes.

O Centro também vem ampliando a oferta de ensino em casas antes dedicadas à assistência social. É o caso da Casa da Criança Alvorada que, a partir de 2010, passou a ofertar Educação Infantil e Ensino Fundamental.

Ainda em 2002, o Pastor Dohms abriu uma unidade no bairro Lindoia, a princípio, para atender crianças da Educação Infantil a 4ª série. Sete anos depois, passou a oferecer todo o Ensino Fundamental.

Os anos de 2007 e 2008 foram marcados pela abertura das unidades das zonas Norte e Sul em Porto Alegre. O colégio do bairro Cavalhada começou oferecendo Ensino Fundamental, em seguida passou para Educação Infantil a partir dos 3 anos de idade e, este ano, começou a ser implantado de forma gradativa o Ensino Médio. Para 2011, está previsto o segundo ano e, em 2012, o terceiro.

A Unidade Zona Norte, com Ensino Fundamental, localiza-se no extremo da capital, no bairro Parque Santa Fé. Os alunos também são oriundos de bairros próximos, como o Leopoldina, e de cidades vizinhas, como Viamão, Alvorada, Cachoeirinha e Gravataí.

Também em 2008, o Pastor Dohms iniciou suas atividades em Torres assumindo uma escola de Ensino Fundamental já existente.

Anhanguera terá novo campus

UNIDADE DA REDE EM PELOTAS

Foto: Divulgação

UNIDADE DA REDE EM PELOTAS

Foto: Divulgação

O Grupo Anhanguera Educacional anunciou para 2011 o início das operações do seu campus no bairro Cavalhada, em Porto Alegre. A expansão das demais unidades no estado segue com duplicação da área em Rio Grande, onde oferece dez cursos; novos prédios em Pelotas e Caxias do Sul, com sete e cinco cursos, respectivamente; e aprovação do projeto para construções em Passo Fundo.

No Brasil, a rede opera com três redes de ensino – 54 campus, mais de 450 polos e mais de 650 centros de ensino profissionalizante, distribuídos pelas regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste. Aí estão contabilizados os centros profissionalizantes operados por franquias.

Tem um histórico de crescimento expressivo nos últimos anos. Sua estratégia de expansão passa pela cobrança de mensalidades mais acessíveis, ofertando cursos a adultos de média e média-baixa renda que trabalham durante o dia e estudam à noite. As instituições de Ensino Superior são mantidas pela Anhanguera Educacional S.A. e suas entidades subsidiárias ou controladas.

Em 2007, a Anhanguera tornou-se a primeira empresa de educação a abrir o capital na América Latina. Em seu site, a rede alega ser a maior organização privada com fins lucrativos do setor de ensino profissional do Brasil e a maior empresa de capital aberto do setor de educação em valor de mercado.

Ucpel investe em aquisição de prédio

especial_16

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A primeira universidade criada no interior do estado, a cinquentenária Universidade Católica de Pelotas (UCPEL) ampliou seu patrimônio este ano ao comprar o prédio que alugava para a Faculdade de Direito. O imóvel pertencia à Igreja Anglicana, que mantinha no local o Colégio Santa Margarida (foto). A Caixa Econômica Federal avaliou as instalações em R$ 2,6 milhões.

A UCPEL possui atualmente 6,3mil alunos em 29 cursos de graduação. E conta com 330 professores. As vagas oferecidas para o primeiro semestre de 2011 são 1.240, dez a menos do que o ofertado no mesmo período do ano passado. “A UCPEL tem conseguido levar o conhecimento da sala de aula para ações efetivas de atendimento as necessidades da comunidade de Pelotas e região, junto com melhorias estruturais nas áreas da saúde, comunicação e educação, jurídica e de negócios e na área das engenharias”, ressalta o vice-reitor José Carlos Bachettini Júnior.

 

 

 

 

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS