Jornal Extra Classe - Jornalismo além da superfície
Nº 157 | Ano 17 | Set 2011
ENSINO PRIVADO
ULBRA

Concluído relatório sobre problemas na EaD

Ato de professores, funcionários e estudantes: mobilização contra a mercantilização

Foto: Igor Sperotto

Ato de professores, funcionários e estudantes:
mobilização contra a mercantilização

Foto: Igor Sperotto

Ulbra concluiu o relatório do processo administrativo instaurado após a abertura de inquérito pela Polícia Federal para investigar irregularidades no processo de correção de provas da modalidade de Ensino a Distância (EaD). O resultado do processo administrativo foi apresentado pela Reitoria ao Sinpro/RS em reunião no dia 24 de agosto. Os problemas foram denunciados pela imprensa no início de julho. A sindicância esclareceu que os responsáveis pelas irregularidades foram identificados e afastados de suas funções e que nunca houve qualquer determinação por parte da instituição no sentido de fraudar a correção de provas dos alunos. A Reitoria considerou o episódio esclarecido do ponto de vista institucional e encaminhará cópia do relatório também à Polícia Federal para colaborar nas investigações.

A instituição informou ainda que solicitou novo credenciamento da EaD ao MEC com redução expressiva no número de pólos presenciais. Já em relação ao processo de reestruturação institucional, informou que foi apresentada à União nova proposta de pagamento do passivo tributário, com inclusão da dívida no Refis 4, tendo como entrada o Hospital Universitário e cerca de R$ 260 milhões arrecadados nos leilões de bens já realizados.

ATO PÚBLICO – No dia 16 de agosto, professores, funcionários técnico-administrativos e alunos da Ulbra realizaram ato público no campus Canoas para assinalar os 39 anos de fundação da Universidade e em defesa do projeto educacional da instituição e a manutenção dos contratos de trabalho. A mobilização foi organizada por uma comissão de professores e funcionários e teve a participação das entidades representativas (Associação dos Docentes da Ulbra – Adulbra, Sinpro/RS, Sinteep/Vales, representantes da CUT/RS e do gabinete do senador Paulo Paim). Para o diretor do Sinpro/RS, Marcos Fuhr, a iniciativa e a participação da comunidade acadêmica da Ulbra na atividade foi extremamente positiva. “A mobilização é fundamental no processo de resistência às intenções de leiloar a instituição ou de transferir sua gestão para o domínio da especulação financeira e da mercantilização do ensino”, alertou.

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.
© Copyright 2014, Jornal Extra Classe - Todos os direitos reservados.

Os comentários estão encerrados.


CONTEÚDOS RELACIONADOS