MOVIMENTO

Feira Internacional do Cooperativismo e da Economia Solidária começa na próxima sexta-feira, 15, em Santa Maria

A programação se estende até domingo, 17, com venda de produtos de mais de 60 agroindústrias do estado e debates sobre ética planetária
Por Redação / Publicado em 12 de julho de 2022

Foto: Arquivo Cáritas RS

Feira realizada em 2019, um ano antes da pandemia

Foto: Arquivo Cáritas RS

Mais de 60 agroindústrias de todo o Estado do Rio Grande do Sul estarão expondo produtos como pão, salame, queijo, entre outros alimentos, na 28ª edição da Feira Internacional do Cooperativismo (Feicoop) que começa nesta sexta-feira, dia 15 de julho, em Santa Maria (RS). Este será o primeiro evento totalmente presencial desde 2020.

O tema deste ano, Construindo a Sociedade do Bem Viver: Por uma Ética Planetária, assim como em 2021, afirma o compromisso da economia solidária com um comércio justo e com a Segurança Alimentar Nutricional Sustentável, livre de agrotóxicos, em favor da saúde e da qualidade de vida. Na sociedade do bem viver, o trabalho e a organização solidária estão acima da exploração e do capital.

Até domingo, 17, cerca de 500 expositores vão ocupar o Centro Dom Ivo Lorscheiter com artesanato, alimentos e roupas resultantes do trabalho associado ou cooperado, para comercializar seus produtos e trocar experiências, neste que é um dos maiores encontros de economia solidária da América Latina.

A Cáritas RS também estará presente. Além de ter uma banca no local da feira, vai se somar à Conferência de Segurança Alimentar, no dia 16 de julho, paralelamente à Feicoop, em Santa Maria.

Pela primeira vez coordenando o evento, José Carlos Peranconi, o Zeca, integrante do Projeto Esperança/Cooesperança, convida a população a conhecer e adquirir os produtos, assistir às apresentações culturais e participar dos debates, oficinas e seminários da programação.

A Feira

Desde 1994, a Feicoop é um espaço de articulação e comércio direto com empreendimentos da Economia Solidária, da agricultura familiar camponesa, das agroindústrias familiares, de catadores/as, de povos indígenas, de migrantes e de trabalhadores/as do campo e da cidade.

O encontro de saberes e experiências entre estes grupos, e com o público visitante, acontece nos pavilhões de exposição e também em oficinas e seminários paralelos por meio de reflexões e debates sobre o momento de crise ética, econômica, política e social por que passa o Brasil.

A 28ª Feicoop é promovida pelo Projeto Esperança/Cooesperança, braço da Arquidiocese de Santa Maria; Prefeitura Municipal de Santa Maria; Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e Instituto Federal Farroupilha (IFFar).

Comentários

Siga-nos