SAÚDE

Em apenas dois dias, Copa América tem 41 casos de covid-19

Competição rejeitada pela Argentina e Colômbia começou domingo em Brasília. Infectados são atletas e funcionários de hotéis que hospedam atletas e comissões técnicas
Por Gilson Camargo / Publicado em 15 de junho de 2021
Delegação da Venezuela, que chegou ao Brasil na última quinta-feira e jogou domingo contra o Brasil tem 13 atletas infectados

Foto: Twitter/Reprodução

Delegação da Venezuela, que chegou ao Brasil na última quinta-feira e jogou domingo contra o Brasil tem 13 atletas infectados

Foto: Twitter/Reprodução

O Ministério da Saúde confirmou o registro de 41 casos positivos do novo coronavírus de pessoas envolvidas com a Copa América no domingo, 13, dia do início da competição, em Brasília. Na segunda-feira, menos de 24 horas do início da competição, quatro das dez delegações que disputam a Copa América tiveram casos confirmados de covid-19. As equipes reúnem atletas de países que apresentam ao menos seis variantes do coronavírus. De acordo com a última totalização dos dados das secretarias estaduais de saúde, o Brasil tem 488,5 mil mortes e 17,5 milhões infectados por covid-19.

Dos 41 infectados revelados pelo ministério da Saúde e pela Conmebol, 31 são jogadores e membros de delegações e dez são prestadores de serviços contratados para o evento. A Venezuela, que jogou no domingo contra a seleção brasileira no jogo de estreia da competição, foi a seleção mais atingida pelo vírus, com 13 integrantes infectados. A Conmebol decidiu mudar o regulamento para permitir a inscrição de novos jogadores. Também há casos de covid-19 nas delegações do Peru, Colômbia e Bolívia.

Variantes

“Todos os casos de prestadores de serviços foram confirmados em Brasília. A positividade de casos por covid-19 foi de 1,40%. Os resultados do sequenciamento genético para análise de variantes serão concluídos em até 14 dias, prazo necessário para realização da análise”, informou.

Em entrevista na porta do Ministério da Saúde, o ministro Marcelo Queiroga disse que os 10 prestadores de serviço identificados eram trabalhadores de hotéis onde atletas e comissões técnicas que disputam o torneio estão hospedados. “Os profissionais e pessoas que tiveram contato com eles foram isolados”, acrescentou Queiroga.

O ministério informou que foram realizados 2.927 testes de tipo RT-PCR em jogadores, membros de delegações e prestadores de serviços. No entanto, esse total inclui testes feitos numa mesma pessoa mais de uma vez, o que significa que a taxa de casos positivos pode ser maior do que a informada.

Comentários

Siga-nos