EDUCAÇÃO

Servidores da Capes pedem renúncia coletiva

É a segunda debandada em órgãos responsáveis pela fiscalização da qualidade do ensino no país em menos de um mês. Em comum, queixas de ingerência nos trabalhos técnicos
Por Marcelo Menna Barreto / Publicado em 29 de novembro de 2021

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Capes: os profissionais denunciam falta de respeito à padrões acadêmicos de avaliação, citam mudanças de parâmetros sem consulta prévia, e de que a instituição não tomou até agora uma ação para o retorno da avaliação de cursos de pós-graduação no país, suspensa pela Justiça em 23 de setembro passado

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Servidores ligados à diretoria de avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) realizaram nesta segunda-feira, 29, renúncia coletiva. Até o momento, 52 pesquisadores da área de Matemática, Probabilidade e Estatística solicitaram exoneração após o envio de um ofício explicando suas motivações à presidência do órgão que é subordinado ao Ministério da Educação (MEC).

Segundo o documento, os profissionais não identificam respeito à padrões acadêmicos de avaliação – citam mudanças de parâmetros sem consulta prévia – e a instituição não tomou até agora uma ação para o retorno da avaliação de cursos de pós-graduação no país, suspensa pela justiça em 23 de setembro passado.

“Assim como diversos colegas, acreditamos que a Capes não tem se esmerado na defesa da sua forma de avaliação. Isto ficou patente nas várias manifestações da presidência e contrasta fortemente com os posicionamentos favoráveis à retomada da avaliação vindos de diversas entidades”, registram os servidores. Eles participaram da elaboração de regras para orientar os programas de pós-graduação e chegaram a montar uma equipe para a avaliação periódica dos programas oferecidos pelas universidades.

Em setembro, a Justiça Federal do Rio de Janeiro decretou em liminar a suspenção imediata da avaliação dos programas de pós-graduação em andamento no país, cerca de 5.5000. A Capes tinha em curso, então, a Avaliação Quadrienal 2021.

A fila de avaliação deve aumentar porque, em meio a determinação judicial, o MEC lançou edital para abertura de novos cursos.

Em menos de um mês é a segunda debandada de órgão de ponta responsáveis pela avaliação da qualidade do ensino no Brasil. No dia 8 de novembro, faltando menos de duas semanas para o início do Enem, 29 coordenadores do Inep pediram exoneração e denunciaram má gestão no instituto.

Comentários

Siga-nos